segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Melhores, piores e decepções de 2010

OS MEUS MELHORES DE 2010
(sem ordem de preferência)



"Tropa de Elite 2"
Não só por ser um filmaço, mas ainda por ter conseguido bater o recorde de bilheteria do cinema nacional (o xoxo "Dona Flor e Seus Dois Maridos", de 30 anos atrás) em tempos de poucos cinemas e pirataria a rodo.


"Kick Ass - Quebrando Tudo"
Uma engraçada aventura que comprova algo que eu sempre defendi: que os filmes de super-heróis não precisam se levar tão a sério assim, como querem super-malas tipo Christopher Nolan e Bryan Singer.


"Popatopolis"
Talvez o filme mais divertido que vi em 2010, além de uma ode apaixonada ao cinema independente. Pena que Ed Wood morreu antes que fizessem um documentário como esse estrelado por ele...


"O Escritor Fantasma"
O veterano Roman Polanski comprova que ainda é "o cara" e ensina como fazer suspense a essa geração atual mal-acostumada com efeitos sonoros e edição videoclipeira.


"A Estrada"
Violenta e triste visão de um futuro sem nenhuma esperança, onde apenas o amor de um pai parece representar um mínimo sopro de humanidade. Incômodo, mas obrigatório.


"Four Lions"
Brilhante comédia que ri da desgraça alheia (ao enfocar o "cotidiano" de atrapalhados homens-bomba), e ao mesmo tempo questiona a estupidez de morrer por qualquer ideal.


"REC 2"
Odiada por meio-mundo, essa continuação não faz feio e ainda expande a mitologia do original, numa espécie de versão "reality show" de "O Príncipe das Sombras", de John Carpenter.


"I Saw the Devil"
Mais uma história sul-coreana de vingança. Em outras palavras: sangue a rodo, arrepiantes mutilações corporais e reviravoltas de arregalar os olhos a cada meia hora.


"Tucker e Dale Enfrentam o Mal"
Os fãs de "Pânico" saúdam o filme do Wes Craven como se fosse o grande exemplo de obra que brinca com os clichês do horror. Mas essa engraçadíssima comédia, que subverte um dos maiores clichês do gênero (os caipiras malvados), mostra que está na hora de eles reverem seus conceitos.


"Tudo que Amo"
A primeira vez a gente nunca esquece. A primeira rebeldia contra o "Sistema" e a primeira banda punk também não, como defende esse sensível retrato da adolescência na Polônia dos anos 80.


"Amargo"
Uma obra-de-arte que passou batida na Mostra de SP e foi redescoberta graças ao Fantaspoa 2010. Homenagem aos filmes "giallo" feitos na Itália, contada através de planos-detalhe, direção de arte brilhante e com um mínimo de diálogos.


"La Yuma"
Uma espécie de versão terceiro-mundista do filme "Menina de Ouro", dessa vez representando o esporte como uma válvula de escape para um cotidiano pobre e violento.


"Triângulo do Medo"
O mais perto de um pesadelo que o cinema de horror chegou nos últimos anos, com um festival de imagens perturbadoras sem abusar de sangue ou efeitos digitais.


"Cisne Negro"
Um horror cerebral e perturbador que aproxima Darren Aronofsky de Stanley Kubrick - e que incomoda o espectador sem a necessidade de banhos de sangue ou "sustos tcham!".


"Abismo do Medo 2"
Uma daquelas raras continuações que realmente continuam, resgatando episódios e personagens do primeiro filme, e que não passa vergonha na comparação com o original, mesmo ao descambar para o excesso de sangue e nojeira.

Menções honrosas: "Massacre Esta Noite", "A Ilha do Medo", "O Último Exorcismo", "Not Quite Hollywood", "Red Hill - Busca Sangrenta", "Homem de Ferro 2", "Scott Pilgrim Contra o Mundo", "Atração Perigosa", "Elvis e Madona", "8th Wonderland" e "O Homem que Virá"


OS MEUS PIORES DE 2010
(sem ordem de "não-preferência")



"Um Olhar do Paraíso"
Peter Jackson chega ao fundo do poço nesse constrangedor "momento Spielberg" (embora nem os piores filmes do Spielberg sejam tão piegas e insuportáveis).


"Os Famosos e os Duendes da Morte"
Curta-metragem esticado, em mais uma amostra daquele cinema fanfarrão que tenta ser artístico e "cabeça" mesmo quando não tem nenhuma história para contar - e que infelizmente acaba encontrando seu público.


"Cabana do Inferno 2"
O primeiro é divertidíssimo, mas essa sequência problemática é apenas... estranha. E insuportável. Os raros achados no meio do caos não justificam a existência do filme.


"A Ilha dos Mortos"
Melhor que o péssimo "Diário dos Mortos", mas ainda assim um fiasco em comparação com o resto da série dos mortos-vivos de Romero - aqui num de seus momentos mais constrangedores, rendendo-se até a piadinhas estúpidas e CGI de quinta categoria.


"O Contestado - Restos Mortais"
Um documentário sobre um fato histórico quase desconhecido da história do Brasil (!!!) e com três horas de duração (!!!)? E que traz depoimentos dos falecidos no conflito (!!!) através de médiuns em transe (!!!)? Next!


"Perpetuum Mobile"
Um filme sobre o nada em que nada funciona (nem mesmo o enquadramento de câmera, como comprova a imagem acima). Mas foi premiado em vários festivais ao redor do mundo e incensado por cinéfilos pseudo-cults, então deve ser bom (e eu devo ser um idiota por não ter entendido).


"Robin Hood"
Se mudassem o título para "Gladiador 2", ou "Gladiator Begins", talvez essa bobagem até enganasse. Mas é difícil engolir um filme sobre Robin Hood que altera totalmente a história clássica do personagem, e ainda traz como herói Russell Crowe gordo que nem um porco!


"A Hora do Pesadelo"
No ano 2050, quando um professor de cinema quiser mostrar aos seus alunos todos os pontos negativos de se fazer um remake de filme de horror, poderá economizar saliva exibindo essa refilmagem simplesmente patética.


"The Possession of David O'Reilly"
Péssimo sub-produto de "Atividade Paranormal", que atormenta o espectador com quase 40 minutos de escuridão, talvez para disfarçar o fato de não ter qualquer história para contar.


"Skyline - A Invasão"
Misture o "Guerra dos Mundos" do Spielberg com "O Nevoeiro", adicionando umas pitadas de "Distrito 9", e o resultado será explosivo - como comprova essa bomba mal-dirigida e pessimamente interpretada.


"A Epidemia"
Não bastou pegar "O Exército do Extermínio", um dos melhores filmes de George Romero, e transformar em filme de zumbis à la "Extermínio". Não, o diretor também teve que alterar totalmente o foco do original, colocando os militares como figurantes. Parabéns: mais um para a lista de piores remakes do século!


"Segurança Nacional"
Minhas esperanças de ver ressuscitar o cinema nacional de ação se diluem mais e mais a cada novo trabalho tosco e preguiçoso como esse, que só funciona mesmo como comédia involuntária.


"Zona Verde"
Se não tivesse um certo diretor conhecido (Paul Greengrass, ou "Greeng-argh") no comando, essa bobagem seria lançada direto em DVD e ficaria perdida no meio dos novos filmes do Steven Seagal ou Dolph Lundgren. Mas como tem...


"O Último Romance de Balzac"
Mais um belíssimo argumento para aqueles que odeiam o cinema nacional e acham que qualquer filme brasileiro é porcaria. Ao ver bombas como essa, dá até vontade de concordar.


"A Ressaca"
Estou até agora tentando entender como é que um trailer engraçadíssimo se transformou numa comédia tão sem graça, em que quase todas as piadas erram o alvo e até Chevy Chase é desperdiçado.

Menções desonrosas: "Jogos Mortais - O Final", "Simplesmente Complicado", "Porto dos Mortos", "Strigoi", "Ponto Org", "Enquanto a Noite Não Chega", "Giallo - O Assassino", "Par Perfeito", "Glen, O Robô Voador", "Não Se Pode Viver Sem Amor" e "O Último Mestre do Ar"


MINHAS DECEPÇÕES DE 2010
(não são bons nem ruins, só ficam
muito abaixo da expectativa criada)



"Os Mercenários"
Parece que Stallone desaprendeu tudo que mostrou anos antes com os excelentes "Rocky Balboa" e "Rambo 4". E o sujeito que editou o filme deve ter feito o curso de montagem com Michael Bay.


"Machete"
Rodriguez repete a piada de mau gosto que foi "Era Uma Vez no México": enche seu filme de atores famosos encarnando personagens legais, e assim deixa o protagonista em segundo, até terceiro plano. E o trailer é muito mais divertido que esse longa burocrático e levado mais a sério do que deveria.


"Esquadrão Classe A"
Os realizadores parecem se divertir muito ao fazer uma cena de ação mais absurda, exagerada e incoerente que a anterior. Pena que o espectador não se divirta tanto quanto eles.


"Avatar"
Onde estará a suposta revolução do cinema prometida por James Cameron (e que muitos críticos e espectadores engoliram)? Será que é a revolução do aumento do preço dos ingressos (por causa do 3D), ou simplesmente o revolucionário desconforto gerado pelas quase três horas (desnecessárias) de explosões e efeitos por computador?


"Piranha 3D"
Porque uma única cena legal (o massacre no lago) não justifica os chatíssimos 45 minutos iniciais e nem as piadas infames. Alguns incensaram o filme somente pela quantidade de tetas e tripas, mas, se é assim, 90% dos slashers dos anos 80 são clássicos do cinema.


"Vida e Morte de uma Gangue Pornô"
Mais um exemplar de uma verdadeira peste moderna: o cinema "Sou revoltadinho e quero chocar o espectador de qualquer jeito". Alguns podem considerar diversão ver um travesti chupar o pau de um cavalo, mas definitivamente essa não é a minha praia (e o cinema pornô brasileiro dos anos 80 tem coisa bem pior, para quem acha que esses caras de agora estão inventando a roda).


"Federal"
Tinha tudo para ser um belo filme policial made in Brazil (e algumas cenas até empolgam, como a morte inesperada, à la Friedkin, de certos personagens principais). Mas, no geral, parece uma cópia infeliz de "Tropa de Elite", mesmo que a produção tenha começado um ano antes.


"Tron Legacy"
O primeiro nunca foi um clássico, como alguns críticos e fãs fazem parecer. Mas pelo menos era divertido e até visionário em suas ideias. Trinta anos depois, essa continuação não traz nenhum novo conceito e apenas "maquia" o primeiro filme - com sérios problemas de ritmo e de roteiro.


"O Lobisomem"
Prejudicado por uma edição porca feita pelo estúdio (a que eu vi no cinema), o filme tem algumas coisas muito boas, mas também inúmeros momentos patéticos e mal-explorados (como esse aí da foto, que é constrangedor). Ainda preciso ver a "versão estendida" lançada em DVD.

Menção honrosa: "A Centopeia Humana"

24 comentários:

qualquergordotemblog disse...

E Inception, Felipe? Não vai mesmo tomar coragem pra ver?

Felipe M. Guerra disse...

Como já comentei em outra postagem, "A Origem" está na lista de boicotados de 2010 porque já tive minha cota anual de Leonardo DiCaprio e porque acho o Christopher Nolan um puta de um mala.

Outro boicotes de 2010, já que não citei na postagem:
- A Caixa
- Atividade Paranormal 2 (e não vi o um também)
- Os Homens que Não Amavam as Mulheres
- Demônio
- Onde Vivem os Monstros
- A Rede Social
- A Fita Branca
- Invictus
- Toy Story 3 (mas esse foi só por falta de oportunidade mesmo)
- Alice no País das Maravilhas
- Sherlock Holmes
- Amor Sem Escalas

Leopoldo Tauffenbach disse...

Até que esta lista está light... Achei que ia ser mais polêmica. Nem passa por uma questão de opinião hermeticamente pessoal, mas por bom senso.

Tavares disse...

Bom saber que também gostou de Black Swan, considero este o melhor filme do Aronofsky, se bem que ainda não vi O Lutador, coloco como segundo melhor de 2010, só abaixo de Cópia Fiel do Abbas Kiarostami. Procure por "Inverno da Alma", título original Winter's Bone um drama que se passa no interior dos EUA de extrema qualidade, deve ter umas indicações ao oscar, mesmo sendo um filme bem "pequeno".

E uma bomba que você também deveria
boicotar é "Minhas Mães e Meu Pai" aquele típico filme meia-boca de sundance, drama indie mal feito, que se sustenta no seu "tema moderno", filme triste.

Leandro Caraça disse...

Eu também estava com essa dúvida e fui chegar : de fato, um dos montadores de "Os Mercenários" trabalhou em vários filmes do Michael Bay. /// Não consegui me empolgar tanto assim com "Triângulo do Medo", mas é um avanço do Christopher Smith depois de dois filmes bem sem graça. Recomendo o "Black Death". /// Dê pelo menos uma chance ao "Devil". É rápido, não machuca e lembra um episódio longo de "Além da Imaginação". E o melhor de tudo, o roteiro NÃO é do Shyamalan.

Fernando disse...

O filme "A Caixa" é uma boa ideia e que foi inspirado em u episódio do Twilight Zone, mas para se tornar filme recebeu algumas subtramas exageradas e forçadas e o resultado descamba para nada.

Agora, o "Triângulo do Medo" é muito bom. Filme que eu só descobri porque visito esse blog, pois nem os meus amigos fãs de realidades alternativas, Donnie Darko, Efeito Borboleta e outras loucuras, sabiam que existiam.

Osvaldo Neto disse...

Também recomendo BLACK DEATH.

Felipe, fico tri-feliz quando amigos e pessoas com tamanho gosto pelo verdadeiro cinema de gênero como você se amarram em POPATOPOLIS. Saiba que o filme também vem conquistando muitos espectadores sem qualquer familiaridade com esse tipo de realização. Ou seja, pode ser usado como intrumento de conversão! Aleluia irmãos! Abraços e valeu pelas palavras! :)

Pedro Henrique disse...

Amer é fantástico. Uma das coisas mais intensamente empolgantes que vi nos últimos anos nesse cinema de experimentos e estéticas.

La Yuma não gosto. Inocente demais, um tanto atrasado no tempo. Mas releva-se, né, por todo o não-cinema feito por lá.

Tucker e Dale Enfrentam o Mal é tem que entrar logo no circuito. Filme a ser visto.

Tu simplesmente avacalhou com a seleção de Gramado. Concordo em grande parte, à exceção é Perpetuum Mobile - mas que também nem curto, só não acho que sirva para piores.

Ademais, Avatar, Os Mercenários e Machete são filmaços.

Bonatti disse...

Concordo com boa parte da lsita, principalmente "A Estrada", uma das maiores surpresas q tive no ano.

Agora.... tenho uma duvida quanto a sua opiniao ao Nolan e o ultimo Batman, ja não é a primeira vez q vejo vc dar uma critica ao filme. Vc realmente não gostou dele? Pq? Gostaria de ver umr eview seu sobre esse filme, visto q não achei nada aqui. Eu achei um otimo filme.
Concordo q filmes de herois não precisam ser levados a serio, como Kick Ass 9q ja vem de uma HQ de comedia) ou o Homem de Ferro mesmo, mas não consigo imaginar o Batman seguindo a linha desses 2 sem parecer com a ridicula serie dos anos 60.

Felipe M. Guerra disse...

BONATTI, na essência eu acho o Christopher Nolan um mala porque ele sempre tenta dar aquele ar de "super-inteligente" aos seus filmes, mesmo quando trabalha com histórias frouxas. Tirando "Amnésia", todos os filmes dele duram duas horas ou mais, mesmo quando não existe A MENOR NECESSIDADE DISSO!

"O Grande Truque", por exemplo, acho que é um filme com uma boa ideia que a longa duração estraga (o "final-surpresa" pode ser adivinhado bem antes por causa da enrolação).

Odiei "Batman Begins". Não engulo esse negócio de levar super-herói tão a sério, estilo Bryan Singer com os "X-Men" (outro filme que não gosto). Além do que as poucas cenas de ação são toscas e pessimamente filmadas, quando a AÇÃO deveria ser o ponto alto de um filme de super-heróis (mas o que esperar de um diretor "cult" e metido a inteligente fazendo filme de super-heróis?).

Até acho que ele se redimiu um pouco com o "Dark Knight", é bem melhor que o "Begins", mas, novamente, por que levar tão a sério uma coisa que, na essência, é uma grande bobagem?

Os Batman do Tim Burton, por menos fidelidade aos quadrinhos que tivessem, eram muito mais divertidos, inclusive em sua bizarrice. Não era para levar a sério, eram quase comédias de humor negro.

Aí chega o Nolan e transforma o Coringa num psicopata mais "real", o que até ficou bom, mas ao mesmo tempo continua tentando fazer o espectador acreditar que alguém vá se vestir de morcego para lutar contra o crime (o que não é NADA REAL).

Sem contar que temos dois filmes em "Dark Knight": o Nolan devia ter deixado o Duas Caras para o terceiro filme e encurtado a história, mas preferiu fazer tudo de uma vez e desperdiçar um puta vilão.

E, só para constar, rever esse segundo filme do Batman é um convite à frustração, pois aí você percebe como o roteiro é ruim, com um excesso de planos mirabolantes do Coringa, principalmente aquela dispensável cena com as duas balsas.

Bonatti disse...

Po, até concordo q no primeiro filme a ação é horrível, mas no segundo ele aprendeu com o erro dele e ela esta bem melhor, na minha opinião.

Quanto a levar a serio, sei la,a cho q por ser muito fã do Batman eu adorei ver ele sendo levado a serio. OBVIO q eu não chego a acreditar q algo ali é possível, mas gostei da idéia dele de trazer tudo ao "mundo real" (dentro do limite). E também achei q o Duas Caras foi bem encaixado ali sim, inclusive, é possível trazer ele de volta em uma continuação. Oq achei q ficou perdido la foi o Espantalho.... colocou o cara só para falar q ele esta la mesmo.
No final, o Coringa ganha o filme mesmo.

Tb gosto dos 2 primeiros do Tim Burton, principalmente o primeiro (os dois do Schumacher nunca existiram para mim), mas acho q ele saiu perdendo nessa.

Quanto a ver a segunda vez... ja vi muito mais doq isso, realmente curti muito o filme..... bom, impossível concordar com outra pessoa 100% em tudo hahaha. Tb curti muito Mercenários dentro de sua proposta, me diverti.

Sobre a sua lista de Boicotados.... veja Toy Story 3, tão bom quanto os 2 primeiros, recomendo muito.

A Origem eu curti, mas estava com tanto Hype quando fui assistir (por tudo oq lia) q acabei achando bom e ponto. Não chega a ser o melhor do ano para mim.

Anônimo disse...

"Machete". Rodriguez levou a sério esse filme? Não sei onde.

"The Dark Night". Você tava querendo o quê? Um carnaval a la Schumacher?

Fala sério.

Felipe M. Guerra disse...

> "Machete". Rodriguez levou a sério esse filme? Não sei onde.
- Em qualquer lugar fora do trailer falso.

> "The Dark Night". Você tava querendo o quê? Um carnaval a la Schumacher?
- Não, apenas uma fábula para adultos à la Tim Burton, não um "filme policial sério" com um sujeito vestido de morcego. Não tem como você levar Batman ou qualquer outro herói a sério fora dos quadrinhos. Olha o Demolidor com aquela roupinha "sadomasoquista", por exemplo...

Matheus Ferraz disse...

"La Yuma" me interessa, e muito.

Rafael Leite disse...

Não vi muitos.

Estrada, muito bom, baseado num livro do Cormac MacCarthy,(escritor do No Country For Old Man)que pretendo ler. Curiosidade: O personagem do Robert Duvall se chama Eli, nome do protagonista no "Livro de Eli", filme pós-apocalíptico bem inferior.

Tenho que ver:Kick-Ass, Amargo, Triangulo do Medo e Cisne Negro

Esquadrão Classe A, quando vi anunciar fiquei maravilhado, mas logo perdi o animo. Não se pode ter muitas esperanças em resgatar a "magia" dessas pérolas dos anos 80, parece que esse ano provou isso. Volta canal 21!!!

Obs: Dark Night-gostei, Irom Man-não gostei (frescuras pessoais quanto a esse ultimo, "Iron Man" do Black Sabbath merecia coisa melhor. Ainda to esperando um cineasta fazer com o rock do inicio dos anos 70 o que o Tarantino fez com o do início dos anos 60.)

Francine disse...

Nem sempre um filme de super-herói deve possuir personagens fanfarrões. No Quarteto Fantástico há piadinhas o tempo inteiro e olha a tranqueira que ficou.
Já em watchmen aparece casal transando, Dr. Manhattan falando sobre física quântica, Rorschach refletindo sobre Deus, comediante detonando a sociedade norte-americana sem risinhos e piadinhas e Watchmen ficou um filme de super-herós acima da média, mesmo com as firulas de câmera lenta do Zack Snyder.

Parece que o Dan Aronosfky vai dirigir o novo do Wolverine, só quero ver um diretor "cabeção" assumir um filme cujo o protagonista é um brucutu ávido por pancadaria. Esse filme sim vai dar o que falar.

M. Seiler disse...

bom, devido a quantidade de filmes que assisti. decidi deixar algumas produções conferidas ano passado para a futura lista desse ano.
Alguns filmes que o Felipe colocou na lista esta na minha de 2011.(Tropa de elite 2, Scott Pilgrim)
Mas enfim, gosto é gosto.
Só não entendo filmes como [REC]2 ou Abismo do Medo 2 nos melhores sendo que muita coisa boa poderia estar nos lugares deles.
Na meu pódio de 2010 está assim
1- Bastárdos Inglorios
2- Deixa ela entrar
3- O lutador

Nadia disse...

Concordei com quase tudo, MAS Cisne Negro só deve fazer sucesso com o publico masculino ("ai olha que loucura cara" a Natalie Portman e a Mila Kunis numa cena quente homossexual- blagh) porque eu não achei nada de especial, por causa do trailer fiquei esperando uma coisa e acabou sendo o outra, tomara que uma das veteranas ganhem o Oscar.
Mas cada um tem direito a sua opinião.

Daniela Monteiro disse...

Nádia, como assim fazer sucesso junto ao público masculino? O filme tem balé, isso já afugenta um bocado.
E as cenas de masturbação e sexo lésbico são contidas. A Portman nem tira a roupa...
Excelente filme, com tensão crescendo aos poucos e história muito bem conduzida pelo diretor, com uma boa trilha sonora.
Sou mulher e gostei bastante.

bruno disse...

REC 2 melhor filme de 2010???

cara fala sério!!! não tem como

Wendell Borges disse...

onde eu consigo o filme Popatópolis? nem na Amazon.com o filme está mais disponível para a venda e não consigo achá-lo em parte alguma. Alguém poderia me ajudar????

Anônimo disse...

Felipe, achei o contrário de você com relação aos Batmans. Gostei do Begins (que tem várias coisas de ANO UM do Frank Miller e SHAMAN "Um Conto de Batman), e o Nolan trata de contar uma história (a de origem do Batman).

Já The Dark Knight não tem história alguma. Supostamente seria o Coringa levar Gotham à loucura, tentando fazer o Batman revelar a sua identidade e fazer os cidadãos acreditarem que a culpa de tudo o que acontece é do Batman. Mas... o filme tem argumentos tão bobocas e razos, e preence a maior parte do tempo com reviravoltas brochantes que essa "estória" fica totalmente em segundo plano.

E o nome do filme devia se chamar CORINGA. Por que o Batman é um INÚTIL no filme inteiro.

Ele não faz absolutamente NADA e ainda se fode várias vezes. Até o Comissário Gordon se sai melhor que ele no filme (afinal o Gordon captura o Coringa numa parte).

O Batman só resolve a parada no final com um daqueles finais DEUS EX MACHINA, horroroso. Exatamente como no final de Superman Returns.

Se você parar pra rever os dois filmes, vai perceber que PELO MENOS o Batman Begins tenta contar uma história.

Pra mim The Dark Knight sofre do mesmo mau que O Exterminador do Futuro 2.

Promete, promete, promete.... mas no final brocha o espectador. E falo isso porque T2 também é foi uma febre no seu lançamente e ainda é MUITO superestimado até os dias de hoje.

Pra mim, qualquer filme que o Arnold trabalhou feito ANTES de T2 é mais divertido, incluindo dois filmes que eu acho chatérrimos (Irmãos Gêmos e Um Tira No Jardim De Infância).

Até aquela bomba chamada "Hércules Em Nova York" eu acho mais divertida que T2.

Bom, independente do que você achou do Begins.... pelo menos você também não foi muito com a cara do The Dark Knight. Eu pensava estar sozinho nesse planeta! rsrs

Anônimo disse...

Francine, desculpe eu ser um pouco grosso (não sei se você é mulher, mas o nick parece ser de mulher).

Watchmen foi um verdadeiro lixo atômico.

Se você leu a HQ sabe que o Alan Moore não fez uma história pra chocar, e sim uma história pra PENSAR.

Não é por que tem sexo num filme que ele se torna mais adulto ou menos adulto.

Aliás, de sexo não tem absolutamente NADA já que todas as cenas de sexo do filme são EM OFF.

Elas são apenas SUGERIDAS. E na cena de "estupro" o cara nem chega a estuprar a heroína.

Não é atoa que o próprio Alan Moore METE O PAU em todos os filmes que adaptam suas obras.

Suas HQs sempre são escritas de forma política (Alan Moore é um esquerdista), e ele usa seus personagens de uma forma caricata.

Ele mesmo disse que Watchmen (sua HQ, não o filme) são um bando de adultos vestindo roupas RIDÍCULAS achando que são os donos do mundo. Ou seja, caricatura EXATA dos políticos de direita dos EUA. rsrs

NEM o Alan Moore leva "super-heróis" a sério. ISSO é ser adulto.

A classificação do filme ainda foi R. Ou seja, nego com 16 anos podia ir assistir. Logo, não tem NENHUMA cena realmente chocante no filme. A MPAA não é burra de violar leis federais dos EUA burlando sua classificação de filmes só pra conseguir mais público.

Anônimo disse...

Cara. Já disseram que você é um idiota?