domingo, 8 de janeiro de 2012

AJUSTE DE CONTAS (1981)


Se os primeiros quatro filmes que traziam o karateka barbudão como protagonista variam do ruim ao bonzinho (com muita generosidade), não se pode reclamar dos quatro seguintes, que antecederam a bem-sucedida "fase Cannon Films" do astro. AJUSTE DE CONTAS (1981), "Fúria Silenciosa" (1982, sobre o qual falaremos num futuro próximo), "Golpe Mortal" (1982) e "McQuade, O Lobo Solitário" (1983) continuam uns filmaços até hoje, e dão de laço em muita produção recente.

Comecemos com AJUSTE DE CONTAS, título que o filme recebeu ao ser lançado em VHS pela Globo Vídeo, mas quem era moleque nos anos 1980 certamente vai lembrar de tê-lo visto no SBT com uma tradução literal do nome original, "Olho por Olho".


Como posteriormente muitos outros filmes ganharam o mesmo título "Olho por Olho" no Brasil (tipo "Steele Justice", com o Martin Kove, e aquele filme de vingança dirigido por John Schlesinger, com Sally Field e Kiefer Shuterland), é até bom usarmos o nome dos tempos da Globo Vídeo para diferenciar.

Na minha resenha de "Os Bons Se Vestem de Negro", eu citei uma frase dita por Chuck numa entrevista, confessando que em seus primeiros filmes tentava copiar o modelo de cinema de ação realizado por Clint Eastwood na época.


Pois depois de interpretar veteranos do Vietnã e karatekas nos seus quatro trabalhos anteriores, em AJUSTE DE CONTAS ele tem a sua primeira oportunidade de interpretar um policial durão e implacável à la Dirty Harry - um papel que ele levaria à perfeição num dos melhores filmes da sua carreira, "Código do Silêncio", de 1985.

Mas o mais curioso desse belo policial é o fato de vermos Chuck Norris enfrentando... Drácula?!? Exato: o grande vilão, acredite se quiser, é interpretado por Christopher Lee, que alguns anos antes também tinha dado dores de cabeça a James Bond em "007 Contra o Homem com a Pistola de Ouro".


Quem diria: o cara que foi Drácula, Scaramanga, Saruman, Conde Dooku e uma infinidade de outros vilões fodões também já tomou uns cascudos de Chuck Norris...

(Engraçado é que a trama tenta fazer mistério, revelando apenas no final que o personagem de Lee é o sujeito por trás de tudo. Até parece que ninguém desconfiava! Eu vi o filme pela primeira vez na TV, quando moleque, com minha mãe do lado. Só ao ver o nome do ator nos créditos iniciais, ela disse algo assim: "Christopher Lee? Esse cara fazia o Drácula, aposto que é ele o bandido!".)


Em AJUSTE DE CONTAS, Chucko interpreta Sean Kane, um policial da Narcóticos de San Francisco (sim, o astro voltou à cidade depois do patético "Massacre em San Francisco"!), que atua disfarçado para desbaratar uma quadrilha de traficantes. Dessa vez o ator raspou seu tradicional bigodão e atua de cara limpa, como nos tempos de "Comboio de Carga Pesada".

Durante uma missão arriscada, ele e o parceiro Dave (Terry Kiser, de "Um Morto Muito Louco") caem numa emboscada armada por um informante corrupto. Tiros voam para todos os lados, carros explodem, e o pobre parceiro morre horrivelmente, queimado vivo, sem que Sean possa fazer algo para salvá-lo.


Furioso ao descobrir que a justiça está de mãos amarradas, nosso herói surta, mata um suspeito após um "interrogatório" na base da pancada e toma a maior mijada do seu superior. Aí, entrega o distintivo (claro!) e sai numa vendeta pessoal contra os traficantes.

Vendeta esta que se torna ainda mais pessoal quando os mesmos sujeitos matam brutalmente uma outra amiga sua, a repórter Linda Chan (Rosalind Chao, de "O Grande Lutador"), que era esposa de Dave. A moça estava justamente preparando uma reportagem sobre a conexão entre os traficantes de San Francisco e as Tríades de Hong Kong e Bangkok.


Para fazer frente aos perigosos inimigos, que parecem estar por toda parte, Sean é obrigado a unir forças com o pai da finada Linda, um velhote especialista em artes marciais interpretado pelo lendário Mako (de "Conan, o Bárbaro", "Resposta Armada" e tantos outros filmes legais). Seu personagem, James Chan, funciona como um eficiente alívio cômico, sempre resmungando de todas as atitudes do herói.

Eventualmente, Sean também se envolverá com a bela Heather (Maggie Cooper, em seu único trabalho fora da TV), uma amiga da jornalista assassinada. Juntos, eles descobrirão que o responsável por tudo é o próprio patrão de Linda, o magnata da imprensa Morgan Canfield (Christopher Lee, quem mais?), que usa de sua posição e de sua influência para dominar o tráfico de entorpecentes na cidade.


AJUSTE DE CONTAS pode não trazer nada de tão novo na trama, principalmente em comparação aos filmes anteriores (e até posteriores) de Norris: ele mais uma vez interpreta um sujeito legal forçado a reagir com chutes giratórios quando os bandidos começam a matar seus conhecidos.

A diferença para seus trabalhos até então é que este funciona que é uma beleza, ao contrário dos quatro anteriores, que ou têm ação de menos ou roteiro ruim demais.


Por coincidência, esta é a primeira colaboração do astro com dois sujeitos que seriam responsáveis pelos melhores filmes da sua carreira. O primeiro é o roteirista James Bruner, que co-escreveu AJUSTE DE CONTAS ao lado de William Gray ("Projeto Filadélfia"). Este aqui foi o primeiro roteiro de Bruner, e depois ele escreveu outros cinco sucessos de Chuck (entre eles, "Braddock", "Invasão USA" e "Comando Delta"!).

O outro parceirão é o diretor Steve Carver, um eficiente cineasta saído da "Escola Roger Corman de Produção de Filmes Baratos". Para Corman, ele dirigiu filmes como "Big Bad Mama" (1974) e "Capone, o Gângster" (1975, com um jovem Sylvester Stallone no elenco). Com Chuck, ele fez depois "McQuade, O Lobo Solitário", outro dos grandes trabalhos da carreira do astro.


E como vários dos primeiros filmes de Norris, este também tem um elenco impressionante, cheio de caras conhecidas. Além de todos os já citados (Lee, Kiser, Mako), também aparecem Richard Roundtree (o Shaft original!) como o superior casca-grossa do herói; Matt Clark ("Candyman 2") como um policial corrupto, e o monstruoso Professor Toru Tanaka como, claro, um monstruoso capanga do vilão.

O falecido Tanaka inclusive rouba a cena toda vez que aparece, e se você ainda não ligou o nome à pessoa, pense no gigantesco Subzero, um dos lutadores que enfrenta Schwarzenegger no ótimo "O Sobrevivente".

Em AJUSTE DE CONTAS, Tanaka protagoniza pelo menos duas cenas antológicas: quando persegue Rosalind Chao numa estação de metrô destruindo tudo que aparece pela frente, inclusive um Fusca (!!!), e o duelo final, primeiro contra Mako, depois contra Norris. O violentíssimo confronto entre o herói e Tanaka, embora rápido, pode ser incluído tranquilamente entre os melhores momentos de toda a carreira de Chuck.


Por sua vez, Norris está muito bem como policial durão. Se nos seus filmes anteriores ainda faltava definir um estilo, e os realizadores sempre levavam sua persona muito a sério, aqui ele adota pela primeira vez aquele jeito fanfarrão que levaria pelo resto da sua carreira.

Ok, na primeira meia hora de AJUSTE DE CONTAS, Chuck ainda está copiando a fórmula Eastwood-Dirty Harry, interpretando um policial durão e implacável. A cena inicial, da emboscada num beco escuro durante uma chuva que não pára, é muito boa e poderia estar em qualquer filme do Dirty Harry. Sua furiosa retaliação contra os bandidos depois da morte do parceiro também.


Mas aí o filme tem um ponto de virada, a partir do encontro do herói com Mako, e o policial durão e mais realista se transforma numa espécie de herói absurdo de história em quadrinhos. Só para dar uma ideia: ele vive numa casa à beira-mar que é uma verdadeira fortaleza, acompanhado apenas de um cachorro com quem conversa como se fosse gente (!!!).

E ainda faz todo tipo de palhaçada, como colocar um travesseiro debaixo da cabeça de um bandido depois de nocauteá-lo, ou ameaçar quebrar uma caríssima antiguidade enquanto interroga seu proprietário! Norris continuaria investindo nesse tipo de personagem a partir daqui, atingindo o ápice do cartunesco com o herói Matt Hunter, de "Invasão USA".


O exagero e o inverossímil se estendem à trama. O roteiro de Bruner e Gray começa emulando os policiais sérios da década anterior (tipo as aventuras de Dirty Harry, que eu não parei de citar), mas vai ficando progressivamente mais absurdo à medida que o tempo passa.

Quando Norris vai encontrar Mako, por exemplo, bandidos pipocam de todos os lados e até um helicóptero aparece disparando rajadas de metralhadora. Na conclusão explosiva, a dupla de heróis invade a fortaleza dos vilões distribuindo golpes de karatê, sendo seguida por policiais da Swat, que colaboram na "limpeza" do local.


Os intermináveis tiroteios no final, com bandidos de terninho e gravata sendo chacinados a rajadas de metralhadora, lembram o que John Woo faria quase uma década depois em filmes como "Alvo Duplo".

Assim, de certa forma, AJUSTE DE CONTAS parece fazer uma ponte entre aqueles policiais mais contidos e realistas dos anos 1970 e as aventuras violentas e exageradas que virariam moda ao longo da década de 80, como "Comando para Matar" e seu massacre de centenas na cena final.


Infelizmente, o grande vilão Christopher Lee escapa de tomar um castigo mais violento no final: Sean apenas estrangula o bandido "um pouquinho" até a chegada da polícia, que o impede de ir além e leva o malvado para a cadeia. E ou Lee é um puta ator, ou Norris estava apertando o pescoço dele muito forte, pois parece que os olhos do velhote vão saltar das órbitas! Seria mítico ver o Drácula tomando um Roundhouse Kick de Chuck, mas é o que temos para hoje...

É uma pena que o SBT e a TV aberta em geral tenham deixado de exibir AJUSTE DE CONTAS (ou "Olho por Olho", como preferirem) há uns bons anos. Porque o lugar certo para essas aventuras canastronas de Chuck Norris é o Domingo Maior, ou a Sessão das Dez.

Hoje, filmes modernos bem inferiores ocuparam o espaço antes reservado ao astro barbudo, que durante anos reinou absoluto nas videolocadoras e sessões de "filmes para macho" das nossas emissoras.


Aliás, AJUSTE DE CONTAS também é uma ausência muito sentida no nosso mercado de DVD, já que a fitinha da Globo Vídeo virou fumaça há mais de uma década!

Lá fora existe uma edição em DVD lançada pela MGM, mas a qualidade de imagem é pavorosa e os caras ainda cortaram 40 segundos do filme, uma ceninha quase inocente em que Norris transa com Maggie Cooper no chuveiro e aparecem os peitinhos da moça (abaixo tem uma foto da cena como está no VHS). Não faço ideia do porquê do corte, mas talvez tenha sido pelo vergonhoso "diálogo de filme pornô" entre o casal:
- Como está a água, meu bem?
- Quente.
- Hmmmm, do jeito que eu gosto!



Se você é daqueles que só conhece Chuck Norris de fama, mas nunca preocupou-se em analisar profundamente a filmografia do ator, este aqui é um bom ponto de partida. Até porque é a aventura que define o estilo caricatural e "super-macho" que ele adotaria a partir de então.

De lambuja, também é uma bela mistura entre trama policial e filme de ação oitentista, com uma contagem absurda de cadáveres e todos aqueles exageros típicos do período.

E convenhamos: não é todo dia MESMO que você vê o Drácula apanhando do Chuck Norris...

Trailer de AJUSTE DE CONTAS



*******************************************************
An Eye for an Eye (1981, EUA)
Direção: Steve Carver
Elenco: Chuck Norris, Christopher Lee, Maggie Cooper,
Mako, Matt Clark, Richard Roundtree, Rosalind Chao,
Terry Kiser e Professor Toru Tanaka.

15 comentários:

Anônimo disse...

Gostei do poster. Ele traz o nome de Norris em destaque pela primeira vez. Norris e Kiser voltariam a trabalhar juntos no "clássico" "O Defensor".

Anônimo disse...

Chuck Norris pode matar duas pedras com um passarinho.

Anônimo disse...

O filme que mais gosto do nosso Chuck é Mcquade;mas Código,Fúria, Comando,Invasão,Braddock são verdadeiros filmaços;inesquecíveis.Esse q vc resenhou agora passava muito no SBT à noite,nunca assisti por completo mas vi várias cenas e era muito bom mesmo.Adorei sua homenagem e espero ansioso por sua resenha de Mcquade.

Robson disse...

Perfeita sua definição deste filme ser a ponte do estilo mais "realista" dos anos 70 e mais pirotécnico e cartunesco dos 80!!!! Eu adoro esse filme desde moleque, gosto mais do começo, mas não deixa de ser um clássico da sessão das dez! Infelizmente a versão que eu possuo é a do dvd que está sem a cena do banho, nem sabia (ou lembrava) dessa cena rs. Esse não é meu filme prefirido do Norris, mas o considero muito divertido!

Anônimo disse...

Este é um dos melhores filmes do Chuck Norris!!! Legal!!!

Anônimo disse...

ei, alguem sabe o nome do filme daquela cena classica, do cara que tira as tripas e mata o outro? (no youtube tem como pior/melhor cena de luta de todos os tempos). Obrigada! (voltarei aqui para verr se comentaram)

Felipe M. Guerra disse...

A cenas das tripas é do filme "A História de Ricky".

Fernando disse...

Esse aí passava "pela primeira vez na televisão" uma centena de vezes nas noites do SBT.

Lázaro Cassar disse...

Cara, teus textos sobre a fase inicial do Norris estão tão fodas e geniais que é uma pena que vc interrompa as análises em "McQuade"; que tal falar de mais alguns, que estão meio esquecidos, tipo "Código do silêncio","O herói e o terror", "Hitman-Disfarce perigoso", "Unidos para vencer"...

Lázaro Cassar disse...

Cara, teus textos sobre a fase inicial do Norris estão tão fodas e geniais que é uma pena que vc interrompa as análises em "McQuade"; que tal falar de mais alguns, que estão meio esquecidos, tipo "Código do silêncio","O herói e o terror", "Hitman-Disfarce perigoso", "Unidos para vencer"...

Felipe M. Guerra disse...

Deixemos para mais adiante, LÁZARO. Senão vou ter que mudar o nome do blog para "Chuck Norris Para Doidos". ;-)

robert disse...

Ótima análise Felipe. Seria interessante vc falar sobre os filmes que Norris fez em sua fase pós-estrelato: Forrest Warrior,A guerra de Logan e Vozes da Inocência ou até mesmo o seriado Walker Texas Ranger.
Grande Abraço!!

Anônimo disse...

valeu mesmo felipe,tava procurando ha anos =)!

Oficial de Ciências disse...

Só eu acho, ou a Maggie Cooper é, fisicamente, uma Kristen Stewart mais velha e numa época com outros tipos de cosméticos e tratamentos para o cabelo?

João Ferreira disse...

Consegui assistir o filme, via YT. Estranhamente, em alguns momentos a dublagem parece mudar (ou era falha do qualidade do áudio...) mas é realmente bem divertido. Destaque para o Chuko invadindo o navio que transportava as drogas.

Duas Observações: Nesta versão dublada, o filme foi batizado como "Vingança Violenta" e a cena do banho quente não consta.