quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

HOJE VOCÊ MORRE (2005)


Nos anos 90, a Nu Image era uma das líderes no mercado de aventuras baratas feitas direto para o mercado de vídeo e DVD. Mais precisamente em 1996, seus sócios (Avi e Danny Lerner, Danny Dimbort e Trevor Short) resolveram criar uma ramificação chamada Millenium Films, supostamente para a realização de "filmes de arte" e produções mais caras.

Claro que, quando você está acostumado a produzir filminhos de ação por merreca, algo que custe 15 ou 20 milhões já é uma "produção mais cara". E esse era, basicamente, o padrão financeiro das películas produzidas pela Millenium Films.

Uma das táticas do novo selo foi recrutar astros meio decadentes para seus filmes de ação "mais caros que os da Nu Image, mas ainda assim baratos".


Alguns, como Sylvester Stallone (que fez "Rambo 4" e "Os Mercenários" com a Millenium), se deram bem.

Outros, como Jean-Claude Van Damme, se deram mal: os três filmes que ele fez para a produtora - "Replicante", "Hell" e "Agente Biológico" - estão entre os piores de sua carreira.

E outros, ainda, se deram MUITO MAL. É o caso de Steven Seagal, que deu tchauzinho para o que restava de dignidade na sua filmografia ao assinar um contrato para estrelar três aventuras da Millenium Films nesse esquema barateiro.


Esses três filmes são simplesmente pavorosos.

Começou com "Determinado a Matar" (2003), que abriu nossa MARATONA STEVEN SEAGAL.

Dois anos depois, em 2005, veio HOJE VOCÊ MORRE, o segundo do contrato e o pior de todos.


Se HOJE VOCÊ MORRE estivesse na prateleira de comédias das videolocadoras, eu provavelmente o veria como se fosse uma exagerada sátira aos filmes de ação, na linha daquelas velhas comédias escrachadas do trio Zucker-Abrahams-Zucker,

Mas não, o filme não é uma comédia. É, isso sim, uma produção de quinta categoria que, para comprovar sua falta de qualidade, tenta economizar uns trocados aproveitando na montagem cenas de outros filmes!

Se fosse comédia, seria hilário e muito divertido; como filme de ação, o resultado é apenas ridículo e estúpido. E constrangedor de tão barateiro. Parece até piada de turco.


Acompanhe e tente segurar as gargalhadas: Steven "Ronaldo Fenômeno" Seagal "interpreta" Harlan Banks, personagem absurdo que é uma espécie de Robin Hood misturado com Justiceiro. Como hobby, ele invade mansões de bandidos e traficantes, mata todo mundo e rouba o dinheiro sujo para dar aos pobres - acredite se quiser.

Depois de quase morrer numa dessas ações, Harlan é convencido pela sua esposa - que tem inexplicáveis "sonhos premonitórios" durante o filme inteiro - a largar a vida de justiceiro e mudar-se de cidade.


Vai para Las Vegas (!!!), onde tenta arrumar um trabalho honesto, mas acaba envolvido com um bandidão chamado Max Stevens (o conhecido Kevin Tighe, numa participação de cinco minutinhos).

A princípio, ele acredita que terá um emprego comum como motorista de carro-forte. Já na primeira coleta de dinheiro num cassino, entretanto, o parceiro do herói mata os guardas responsáveis pela entrega da bolada e obriga Harlan a dirigir em alta velocidade para fugir da polícia, roubando os 20 milhões de dólares que deviam apenas transportar.


Depois de uma perseguição motorizada seguida de várias explosões, o herói é preso e condenado a prisão perpétua numa penitenciária casca-grossa no meio do deserto - afinal, ninguém acredita na história de que ele foi forçado a dirigir e explodir viaturas da polícia na tentativa de fuga.

Mas, espertinho, Harlan esconde os 20 milhões antes de ser preso, e a grana é cobiçada tanto pelos bandidos quanto por policiais corruptos.


Na cadeia, ele conhece um bandidão chamado Ice Kool (o rapper Treach), e ambos conseguem escapar. Livre, o herói planeja sua vingança enquanto metade do mundo persegue a grana roubada. Só uma bela agente do FBI (Sarah Buxton) acredita na inocência do herói e tenta ajudá-lo.

Se só com o resumo da trama já é difícil de engolir, espere até ver o argumento filmado. HOJE VOCÊ MORRE é uma sequência de furos e absurdos grotescos, daquele tipo que seria até engraçado se não fosse trágico.

Começando do começo: quem engole o passado de "Robin Hood" do herói? Nunca fica claro se ele era um ex-policial, ex-agente secreto ou ex-matador de elite para ter as habilidades e a tecnologia de ponta necessárias para roubar de traficantes e dar aos pobres, e o roteiro também nem se preocupa em explicar isso - já que esse "hobby" do herói é esquecido em menos de 10 minutos.


Continuando: ninguém acredita na história de Harlan quando ele diz que armaram para cima dele no seu primeiro dia de trabalho como motorista de carro-forte. Mas também a polícia nem se preocupa em investigar a empresa que o contratou, nem o seu suspeitíssimo empregador. Simplesmente mandam o cara para a cadeia, como já havia acontecido antes em "Determinado a Matar" - Seagal definitivamente não tem sorte com o sistema judiciário!

Por falar no empregador, lá pelas tantas revela-se que o tal Max Stevens é um feiticeiro adorador do demônio (!!!), que tem até uma masmorra com piano, ídolos demoníacos, um esqueleto amarrado na parede (!!!) e uma guilhotina (!!!). Mas isso não faz NENHUMA DIFERENÇA na trama - e só o fato de levarem a sério um detalhe tão ridículo e desnecessário já me faz questionar a sanidade dos realizadores.


Além disso, nas cenas da prisão, todos os personagens têm a maior liberdade para zanzar pela penitenciária e surrar e/ou matar uns aos outros, sem que a polícia interfira. E ao contrário de TODOS os outros presos, nosso herói inexplicavelmente não usa uniforme de presidiário (!!!), mas sim uma absurda jaqueta azul, destoando completamente do resto dos apenados!

Ah, e tudo é facílimo para o herói: Seagal foge da cadeia com seu novo amigo Ice simplesmente desacordando um guarda e roubando seu uniforme (é questionável o status de "prisão de segurança máxima" quando basta trocar de roupa para conseguir sair tranquilamente do presídio!). Depois identifica e localiza sem demora todos os caras que armaram para ele, e ainda dá um fim nos vilões sem nem suar - o confronto com o "grande vilão", o tal feiticeiro satânico, é tão rápido quanto frustrante.


O que parece é que os roteiristas Kevin Moore e Les Weldon simplesmente se reuniram e resolveram adicionar em HOJE VOCÊ MORRE tudo aquilo que viram em outros filmes feitos antes. Herói preso injustamente e obrigado a fugir da cadeia? Confere. Vilão metido com feitiçaria? Confere. Sonhos premonitórios? Confere. Roubar dos ricos para dar aos pobres? Confere. Parceiro negro interpretado por rapper? Confere, e o próprio Seagal já tinha feito quase tudo isso antes em "Rede de Corrupção", "Marcado para a Morte" e "No Corredor da Morte".

O "diretor" Don E. FauntLeRoy estreou no cinema com esse filme após uma numerosa colaboração como assistente de diretor, diretor de fotografia ou diretor de segunda unidade (participou até de filmes conhecidos, como "Os Goonies" e "O Casal Osterman", mas por outro lado também trabalhou com David A. Prior!).


Pelo jeito, o cara não aprendeu nada (nem mesmo com Prior, que faz filmes ruins, mas divertidos). Acabou sendo responsável por dois dos piores trabalhos de Seagal (esse e o posterior "Mercenário", que fechou a cota dos três filmes-bomba do "ator" com a Millenium Films).

FauntLeRoy também dirigiu, depois, o terceiro e o quarto "Anaconda" (!!!). Ou seja, a filmografia do cara deveria ser investigada pelo FBI por seu potencial como arma de destruição em massa!


No caso de HOJE VOCÊ MORRE, consta que Seagal brigou com os produtores e com o diretor o tempo inteiro, mudando o roteiro ao seu bel prazer e faltando às filmagens sem maiores explicações. Dá para ver essa falta de empenho na tela, até porque as duas únicas cenas boas são chupadas de outros filmes.

Uma delas foi "inspirada" em "Os Caçadores da Arca Perdida": um sujeito aparece fazendo malabarismos, mostrando sua habilidade e agilidade com artes marciais, e, quando você espera a luta do século, Seagal simplesmente saca seu revólver e enche o bandido de tiros!


A outra é a fuga do carro-forte após o assalto, repleta de capotamentos e explosões - e provavelmente a única cena de ação decente.

A ironia é que a cena nem foi filmada para HOJE VOCÊ MORRE; pelo contrário, saiu de "Top of the World", policial de 1998 dirigido por Sidney J. Furie e estrelado por Peter Weller e Dennis Hopper, sendo apenas editada ao material filmado por FauntLeRoy!

Esse é o tipo de sem-vergonhice que acaba com a credibilidade de qualquer produção. Diretores como Jim Winorsky e até Bruno Mattei costumavam utilizar o recurso para economizar, mas nunca esperei ver a picaretagem num filme de um cara conhecido, como Steven Seagal.


E não fica só na perseguição de carros: outras cenas ("Seagal" entrando num prédio, a rebelião no presídio...) vieram respectivamente de um filme do Van Damme ("A Irmandade", de 2001) e de outro dirigido por Walter Hill ("O Imbatível", de 2002)!

Por essas e por outras, HOJE VOCÊ MORRE pode ser considerado um dos pontos mais baixos da carreira de Steven Seagal (e isso considerando qté a segunda parte da sua filmografia, aquela dos filmes descartáveis "direct-to-video").


Pois quando um cara que fez "quase blockbusters" no passado precisa se render a cenas de outros filmes remendadas na edição, é porque a coisa está feia...

E, talvez, Seagal tenha feito assim de propósito, pensando como o Tiririca: "Pior do que está não fica". Analisando por esse ângulo, até tem certa lógica. Pois o filme é tão ruim que qualquer coisa que vier depois é lucro.

Em tempo, a briga do "ator" com a Millenium Films continuou no posterior "Mercenário", que você conhecerá na nossa próxima atualização, e dizem que Seagal só não participou do time de astros reunidos por Stallone em "Os Mercenários" por causa dessa traumática relação com a produtora.

Trailer de HOJE VOCÊ MORRE



*******************************************************
Hoje Você Morre (Today You Die,
2005, EUA)

Direção: Don E. FauntLeRoy
Elenco: Steven Seagal, Treach, Sarah Buxton,
Mary Morrow, Nick Mancuso, Robert Miano,
Kevin Tighe e Jamie McShane.

14 comentários:

Ivam disse...

Muito boa essa maraton "Steven Seagal" rsrs

Mas eu queria perguntar uma coisa que nao tem nada a ver com o tópico: Tem um filme que passava no "Cinema em Casa", mas eu nunca mais vi e esqueci o nome.

Era uma comédia sobre um cara que recebia a visita de um sujeito que dizia que tinha uma técnica para trazer os mortos de volta. Ele resolve usar a técnica para reviver a mãe, mas ela volta "estanha".
Tem também o tio do cara, que ficava vendo a vizinha gostosa pelada... rs

Vc sabe o nome?

Matheus Ferraz disse...

Eu acho que este filme se chama "A Mãe Morta de Ned".

Fernando disse...

É... Quando os caras apelam para editar um filme com sobras de outras produções é sinal de que as coisas não estão bem.
A propósito, eu não sabia que existe um Anaconda 4. Aí eu vejo que a humanidade está mesmo no fundo do poço.

Rodrigo Huagha disse...

Poxa, eu gosto do filme Replicante do van damme.

Matheus Ferraz disse...

Se o Tarantino dirigisse um roteiro destes, todo mundo ia amar...

Felipe M. Guerra disse...

Claro MATHEUS, ele não ia levar a sério como fizeram aqui. Muito menos chamar o Steven Seagal para "atuar". hehehe.

Matheus Ferraz disse...

Não levem a piadinha a mal, eu adoro o cinema do Taranta!

Felipe M. Guerra disse...

Não levei. É só para separar as coisas: "Resgate Sem Limites" e "Lado a Lado com o Inimigo" têm roteiros igualmente esdrúxulos, mas são muito mais divertidos e melhor executados do que "Hoje Você Morre". Não adianta ter um argumento avacalhado se o diretor resolve levar a coisa a sério demais.

hqsubversiva disse...

Olha, sensacional, e ainda "homenageia" Indiana Jones!

Luciano Milhouse disse...

Só discordo de uma coisa: "Hell" pode não ser uma produção de centenas de milhões de dólares, mas é um filmaço!! Dizer que foi o "ponto fraco" da carreira do Van Damme foi maldade demais, rsrsrsrs!

Abração!

Lázaro disse...

Não acho "Hell" um dos piores filmes da safra mais recente de Van Damme, mas sempre tenho a impressão que seus filmes de prisão tentam emular a dramaticidade (e falham nesse sentido) de "Condenação Brutal", do Sly.
Já Seagal... cara, certamente ele sabe muito bem onde está pisando, e a síndrome "Roberto Carlos" bateu nele; está no piloto-automático, quer mais é ganhar uma graninha com o público fiel que ele conquistou. Mas sou fã do fdp. rsrs.

Lázaro disse...

Aproveitando a deixa... Felipe, o que acha do filme "Inferno" (não o "Hell") do Jean-Claude? Quando o vi pela primeira vez, achei o pior bagulho já filmado de todos os tempos. Mas o revi... ainda acho muito ruim, mas possui uma carga simbólica altíssima... chega a emular "O estranho sem nome", de Clint Eastwood, além de várias metáforas bíblicas mal-aplicadas... como a cidade-purgatório que precisa da libertação de um "anjo decaído": Van Damme.

Guilherme disse...

Sou fã , dos filmes de Steven Seagal , esse tipo de ação , sem ser levado a sério , sem uma trama complicada , partindo direto pra pancadaria ,mas devo adimitir que esse filme está entre os piores de Seagal , mas não chega nem perto do que foram os respectivoss , Ticker , Operação Sol Nascente e Força de Ataque , as grandes bombas na carreira de nosso astro , a propósito , poderia falar um pouco desses filmes nas próximas edições , que tal?

eduardo morais disse...

Dessa lista só assisti aos dois últimos e pretendo ver "determinado a matar" nos próximos dias. Diante disso, dos que assisti, "justiça cega" é o pior de todos. Mas, a cena mais constrangedora fica com "risco absoluto", quando a mulher dele fica se esfregando nele, e dá para perceber o quanto aquilo é forçado.