sexta-feira, 16 de março de 2012

SATAN'S LUST (1971)


Satanismo era assunto da moda entre o final dos anos 60 e início da década de 70. Afinal, nesse período havia um grande interesse pelo ocultismo graças às experiências com drogas e sexo livre promovidas pela geração dos hippies, aos cruéis assassinatos cometidos pela "família" de Charles Manson (supostamente sob influência demoníaca) e à fundação da Igreja de Satã (Church of Satan) pelo "bruxo" Anton LaVey, promovendo "cerimônias satânicas" regadas a sexo que atraíram até celebridades de Hollywood, como a atriz Jayne Mansfield.

Esse interesse pelo tema logo chegou ao cinema. Se até então Hollywood tinha produzido poucos filmes sobre satanismo, algo mais comum a produções europeias (como o clássico "Night of the Demon" e as produções da Hammer), a partir de 1968, com "O Bebê de Rosemary", o Diabo e seus seguidores ganharam uma nova cara: os satanistas não viviam mais em algum período obscuro do passado, mas em plena Nova York contemporânea. "O Exorcista" (1973) e "A Profecia" (1976) fecharam aquela que alguns pesquisadores consideram "a grande trilogia sobre Satã no cinema".


Um fenômeno curioso e ainda não decentemente pesquisado daquela mesma época é que o satanismo também chegou aos filmes pornográficos explícitos. Afinal, dentro daquele velho conceito da Igreja Católica de que sexo era pecado, nada mais natural do que associá-lo de uma vez ao Diabo, certo?

Realizadas nos anos 70, produções X-Rated como "Satan's Sex Slaves" (1971), "The Devil in Miss Jones", "Sons of Satan" (ambos de 1973), "Nuda per Satana" (1974), "Devil's Ecstasy" e "The Devil Inside Her" (ambos de 1977), entre outras, mostravam com muita imaginação os tormentos do inferno ou a libertinagem dos cultos satânicos, e sempre com bastante sacanagem, é claro - como o Diabo gosta!


SATAN'S LUST é uma obra desse período bizarro, e um legítimo pornô hardcore sobre satanistas tarados. O que torna esse filme um tantinho mais curioso do que os anteriormente citados é o fato de ele trazer, no elenco, um jovem George "Buck" Flower mandando ver em cenas explícitas.

Se não caiu a ficha, George "Buck" Flower é aquele eterno figurante gordinho, barbudo e com jeitão de mendigo e bebum (veja a foto ao lado).

Não por acaso, ele geralmente aparecia nos papéis de mendigo, bebum ou ambos em filmes como "De Volta Para o Futuro", "Eles Vivem" e "Fuga de Nova York".

O que pouca gente sabe é que, antes da "fama" como figurante de luxo, "Buck" era ator pornô em produções com títulos sugestivos como "Suckula" e esse SATAN'S LUST!

Produzido apenas dois anos depois dos famigerados crimes da família Manson, e portanto no auge do interesse dos norte-americanos pelo satanismo, SATAN'S LUST é um daqueles filmes extremamente obscuros que só sobreviveram ao esquecimento por verdadeiro milagre (ou, nesse caso, diabrura), e numa cópia bem ruim e danificada pela ação do tempo.


Entretanto, não restaram muitas informações sobre a equipe técnica da película, de maneira que não se sabe quem produziu, quem escreveu e nem mesmo quem dirigiu o negócio. Mesmo sobre o elenco sabe-se muito pouco, e o próprio "Buck" Flower já morreu e não pôde dar mais informações sobre os créditos da equipe técnica.

Sem créditos iniciais ou finais, SATAN'S LUST conta a história de um culto satânico (óbvio) liderado por um bruxo chamado Manheim Jarkoff (!!!), interpretado, é claro, pelo nosso amigo "Buck" Flower, ainda jovem e sem barba nem barriga, mas já feio pra cacete (foto abaixo). "Jarkoff", caso você não tenha percebido, é uma corruptela de "jerk off", expressão em inglês para masturbação. Por aí já se percebe o nível da coisa.


Pois Jarkoff é proprietário de um pequeno estúdio de cinema de Hollywood chamado... hã... Satanic Films (!!!), com o qual atrai incautas candidatas a estrelas para usá-las em orgias satânicas e logo depois sacrificá-las para o Coisa Ruim. Seus asseclas são Boris (Ron Darby, que fez vários pornôs hardcore e softcore no período) e Edith (atriz não-identificada), uma bruxa com 200 anos de idade, mas corpinho de vinte e poucos.

Quando o filme começa, o trio de satanistas sacrifica Carla (atriz não-identificada), que é violentada e queimada viva. Para não levantar suspeitas, é encenada a sua morte num acidente de carro. Mas uma colega de escola da vítima, Pamela Goodright (Judy Angel), começa a desconfiar do caso porque Carla nunca havia aprendido a dirigir, e portanto não poderia morrer num acidente de automóvel. Faz sentido.


Pamela reencontra um ex-namorado dos tempos de colégio, Wayne (Rob Santos, muito parecido com Robert "Cannibal Holocaust" Kerman, que também era ator pornô), e o convence a ajudá-la a investigar a morte misteriosa da amiga em comum. Isso depois da trepadinha básica de reencontro, é claro.

O casal acaba chegando rapidamente à Satanic Films, porque isso aqui é filme pornô e a história precisa se desenrolar dinamicamente para dar tempo para as trepadas. Quando Jarkoff e seu culto vêem-se ameaçados com a possibilidade dos pombinhos procurarem a polícia, resolvem agir: Edith seduz Wayne enquanto Pamela é eleita para ser sacrificada na próxima orgia satânica do clã!


Parte filme de horror, parte pornozão e trash por completo, SATAN'S LUST tem tudo para agradar a admiradores dos três estilos.

No tocante ao terror, temos trilha sonora satânica, ruídos típicos do gênero (como trovões, uivos e gritos de desespero, lembrando até os créditos iniciais de "O Despertar da Besta", de José Mojica Marins), violência moderada, rituais satânicos com velas pretas, esqueletos e chicotadas e até uma participação especial do próprio Satã!


No tocante ao pornô, até que o rósqui-fósqui é bem animado: se as orgias satânicas são brochantes a ponto de amolecer até pinto de vítima de priapismo, especialmente pela participação do folclórico "Buck" Flower, as transas entre a linda Judy Angel e o bigodudo Rob Santos valem uma olhada. Em momento impagável, a moça diz ao amante que não vai sair de casa "sem tomar café da manhã"; o garanhão entende e enfia o pinto na boca da loira para um boquete, até sair o aguardado "leitinho".

Judy já não era mais nenhuma garotinha na época das filmagens (aparentava ter passado dos 30), e isso dá um charme especial à sua participação. Afinal, ao contrário dos pornôs atuais, que dão destaque às ninfetinhas, na época era comum filmar mulheres mais maduras "em ação".


Um ano antes, a loira havia integrado o elenco de "Mona, The Virgin Nymph" (1970), que alguns pesquisadores alegam ser a primeira produção X-Rated a ser exibida comercialmente nos cinemas (título que, para outros pesquisadores, pertence a "Garganta Profunda", de 1972). Sua carreira no hardcore não foi muito mais adiante, e, segundo o IMDB, seu último crédito foi "New Girl in Town", pornô de 1972 com John Holmes. Seu paradeiro, como o de muita gente dos primórdios do X-Rated, é desconhecido.

Finalmente, no tocante ao trash... Bem, digamos que é impossível chegar ao final de SATAN'S LUST sem ter gargalhado muito e inúmeras vezes. Uma das coisas mais impressionantes é a trilha sonora deslocadíssima, que inclui até versões instrumentais de sucessos dos Beatles (não, eu duvido que eles pagaram direitos autorais).


E quero ver você segurar o riso quando tocar "I Want To Hold Your Hand" exatamente no momento em que a câmera dá um close no dedinho de "Buck" Flower passando vaselina no orifício anal de Judy Angel (o que dá um sentido totalmente novo à parte da música que diz "And when I touch you I feel happy inside"!!!).

Outra cena de embasbacar é aquela em que a bruxa Edith, apaixonada por Wayne, vai até o rapaz em busca de sexo. Mas ele demonstra sofrer de ejaculação precoce, acaba muito rápido e deixa a garota na mão. Sem se abalar, ela pega uma vela e começa a se masturbar enfiando a dita cuja na vagina. Nesse momento, é inexplicavelmente punida pelo mestre Jarkoff e morre, transformando-se num esqueleto... ainda com a vela enfiada naquele lugar!!!


No final, a polícia chega na hora H ao estúdio da Satanic Films e evita o sacrifício de Pamela. Jarkoff e Boris tentam fugir, mas seu carro cai de um precipício (o acidente não é mostrado porque a produção não tinha grana para tanto). Um policial (ator não-identificado) explica que encontraram o corpo de Boris, mas não o de Jarkoff. Entretanto, salienta, "nenhum ser humano poderia ter sobrevivido ao acidente", dando uma pista sobre a verdadeira identidade do líder dos satanistas. E quando Pamela acusa um repentino enjoo de gestante, a conclusão deixa escancarada a homenagem a "O Bebê de Rosemary".

Numa época em que os pornôs ainda eram rodados em película de 35mm (ou 16mm, como parece ser o caso aqui), e com umas câmeras enormes que não permitiam a mesma agilidade das handycams digitais de hoje, SATAN'S LUST surpreende com alguns elaborados e inusitados ângulos de câmera, filmados de baixo para cima e de cima para baixo, somados a efeitos com filtros coloridos e lente olho-de-peixe.


Em alguns momentos, até me senti vendo um filme antigo do Zé do Caixão - aliás, alguns enquadramentos esquisitos me lembraram o já citado "O Despertar da Besta", o grande clássico do mestre Mojica. Por isso é uma pena que não se saiba quem é o diretor do filme. Terá sido o próprio Coisa Ruim?

Seja por isso, seja pela curiosidade de se ver um X-Rated com ares de horror e aquele charme típicos dos pornôs pioneiros dos anos 70, seja pela presença trash de George "Buck" Flower mandando brasa em cenas explícitas, SATAN'S LUST é mais um "filme para doidos" com louvor, recomendadíssimo para todos os amantes de curiosidades e podreiras cinematográficas.

E, pela presença do próprio, pode-se dizer até que é um trashão como o Diabo gosta!


*******************************************************
Satan's Lust (1971, EUA)
Direção: ???
Elenco: Judy Angel, George "Buck"' Flower, 

Rob Santos, Ron Darby e algumas 
atrizes não-identificadas.

13 comentários:

Anônimo disse...

... E eu pensava poucos filmes poderiam ser tão doidos quanto a versão pornográfica da Alice no País das Maravilhas.

Daniela Cecchin

Hugo disse...

É intrigante como Judy Angel se parece, neste filme, com Doris Day. Deve ser por causa do estilo anos 60 do cabelo e do figurino. Será que quem fez “Satan’s Lust” caracterizou-a assim de propósito? Doris Day era a mãe do Terry Melcher, o produtor musical que desprezou as composições do aspirante a rock star Charles Manson. Esse fato levou o doido a ordenar à sua “família” que atacasse a casa de Melcher, mesmo sabendo que este nem morava mais lá. Doido é doido, e Sharon Tate e seus amigos pagaram o pato...

Rick Jones disse...

Hahaha, daqui a pouco o Guerra vai ter que mudar o nome do blog para FILMES QUE SÓ EU VI. O cara é um verdadeiro garimpeiro das imundícies cinematográficas, e isso é um elogio!

Bom, mas falando um pouco sobre esse assunto, há quem diga que esses filmes satanic porn são produzidos por pessoas diretamente ligadas a Church Of Satan, o que os relega à total obscuridade, mas vai saber, né? Cheguei a ver um desses, só que mais recente e é hardcore mesmo, rolando até osculum infame e outras barbaridades. Não recomendo.
Até nem duvido de tal fato, já que até filmes mais sérios como DEVIL'S RAIN foram, realmente, "apadrinhados" pelo LaVey.

E acabei de ver um trailer de ANGEL ABOVE DEVIL BELOW, em que Satã fala e comanda pela buceta de uma garota, hahaha!

PS: E eu que pensei que o Buck Flower só aparecia em inocentes filmes do John Carpenter...

Anônimo disse...

Onde você arruma essas pérolas ? É tudo fruto de um trabalho pessoal de pesquisa mesmo ou alguns conhecidos ou fãs do site também lhe conseguem material ? Muitos filmes eu reconheço, só não lembrava ou sabia os nomes, mas tem outros que aparecem aqui, como esse Satan Lust, que me surpreendem.

Felipe M. Guerra disse...

ANÔNIMO, é tudo loucura da minha cabeça mesmo. Os leitores do blog vivem fazendo pedidos de filmes para eu resenhar, mas raramente atendo as solicitações porque já assisto naturalmente a tantas tranqueiras que não me sobra tempo para escrever sobre outras! :-D

Robson disse...

Dirigido pelo próprio coisa ruim, hahhahaah muito bom!!!

Bússola do Terror disse...

Isso me lembrou um filme pornô (se não me engano da Brasileirinhas) que se passa no Inferno em que o Zé do Caixão faz algumas participações especiais em cenas de diálogo com o diabo. Ele só não participa das cenas de sexo.
Não lembro o nome do filme, mas é do final dos anos 90. E o único ator que eu lembro que também trabalhava era o Fábio Scorpion.

Anônimo disse...

Felipe, os seus melhores textos são sobre esses filmes x-rated e filmes do Sady Baby. Continue escrevendo sobre eles.

Abraço.

Paulo Geovani

Anônimo disse...

Eu me interesso bastante pelos X-rated das antigas...já vi muita coisa, mas esse ai eu não conhecia, deu até vontade de assistir hehe

Anônimo disse...

Além de possuir textos bons, esse blog é um ótimo reduto para quem quer garimpar obras cinematográficas de "gosto duvidoso".

Eu, que sou uma admiradora daquilo que há de mais estranho em matéria de cinema, sou leitora assídua daqui.

Continue a escrever sobre esses filmes sacanas.

Francine

Anônimo disse...

Billy the kid vs. Dracula

jonathan ribeiro disse...

que filme de maluco,mas tinha uma história até mais ou menos razoável pro nível dos pornos.

Diego disse...

Cara eu adorei esse seu blog é realmente muito bom, eu também me interesso muito por filmes digamos...exóticos hehehehe mas você supera qualquer um nesse sentido, adoraria poder ter a oportunidade de assistir pelo menos alguns desses filmes, tenho fé que conseguirei!