segunda-feira, 2 de maio de 2011

RESGATE DE RISCO (2005)


- Shep, era necessário atirar o suspeito pela janela?
- É que eu precisava de um pouco de ar...


Frases de efeito entre uma troca de porradas ou um tiroteio? Confere. Expressão de buldogue mal-humorado que teve o osso roubado e prepara-se para estraçalhar o outro cachorro? Confere. Atuação incapaz de expressar qualquer sentimento que não seja o de fúria? Confere. Roteiro estapafúrdio que apenas empilha lutas e tiroteios? Confere.


Senhoras e senhores, sem sombra de dúvidas, THE CUTTER (no Brasil, RESGATE DE RISCO) é um autêntico filme de CHUCK NORRIS. E se você não entende o porquê de eu grafar o nome dele em maiúsculas, certamente não sabe que CHUCK NORRIS é DEUS e está acima de nós, pobres mortais.

Você nunca leu os hilariantes CHUCK NORRIS Facts? Não sabe que o Papai Noel existia, até esquecer de trazer o presente para CHUCK NORRIS? Não sabe que o mijo de CHUCK NORRIS é engarrafado e vendido como Red Bull? CHUCK NORRIS, caro leitor, não é uma pessoa ou um ator, mas uma força da natureza. Que consegue escapar ileso de tiroteios, lutas, terroristas, e até de filmes desastrosos como este THE CUTTER.


Se na teoria THE CUTTER é um autêntico filme do mestre, na prática o que se vê é uma obra tristemente comum, bem diferente dos "clássicos" estrelados pelo ator nos anos 80, como "Invasão USA" e "Braddock - O Super Comando". E considerando que CHUCK NORRIS estava afastado do cinema desde 1996 (quando fez o horrível "O Protetor"), era de se esperar mais do retorno de uma lenda viva do cinema de ação barulhento e sem-noção.

Porém, infelizmente, CHUCK NORRIS ficou tempo demais estrelando o seriado televisivo "Walker Texas Ranger" (onde quase não matava ninguém!), se converteu num religioso xarope, que prefere dar sermões a tiros, e perdeu a mão para a coisa. Perdeu, também, o posto de "ídolo das produções B direct-to-video" para vários outros atores de menor grandeza, como Steven Seagal e Jean-Claude Van Damme - mais recentemente, Jason Statham tem assumido o posto de "herói de ação do século 21".


E é lamentável que THE CUTTER seja o "canto de cisne" do ex-astro (até agora, seu último filme). Ao invés de sair por cima, CHUCK NORRIS aposentou-se com um filme apenas convencional, tedioso, comum. E, como diz a loirinha Mena Suvari em "Beleza Americana", não tem nada pior que ser comum...

A trama começa no Deserto do Sinai, onde arqueólogos desenterram uma múmia (!!!) antes de ser barbaramente assassinados por um homem conhecido apenas como Dirk (Daniel Bernhardt, que tentou ser um imitador de Van Damme estrelando as seqüências de "O Grande Dragão Branco", de 2 a 4). Dirk quer uma placa cheia de pedras preciosas que estava no peito da múmia, e que vem a ser um raro e cobiçado artefato religioso. O que interessa, entretanto, são os enormes diamantes de vários quilates escondido no fundo da placa.


Só nestes cinco primeiros minutos, já temos dois erros grosseiros: quando Dirk apunhala uma cúmplice, percebe-se claramente que ele está apenas forçando o punho fechado (sem faca alguma) na barriga da moça; e apesar de ter atingido a barriga, no take posterior, em close, vemos uma faca enterrada no meio dos peitos da vítima! Ora, o que você esperava de uma produção barata da Nu Image feita direto para o mercado de vídeo?

Finalmente, entra em cena CHUCK NORRIS, mas em Washington, bem longe do Deserto do Sinai. Ele interpreta John Sheperd, que todos chamam "Shep", um heróico policial que se aposentou após concluir que o trabalho na polícia era muita burocracia e pouca ação. Shep transformou-se, então, num detetive particular especializado em resolver casos de seqüestros antes da polícia.

Na sua primeira aparição em cena, por exemplo, vemos Shep dando uma de Stallone Cobra e invadindo o prédio onde uma garota é mantida como refém. Ele não só fuzila, com um revolvinho comum, três capangas que usavam metralhadoras Uzi, mas ainda enche de porrada um quarto bandido que tem o triplo do seu tamanho!!! Ao ver que a refém está morta, nosso herói fica puto e atira o sujeito desarmado e indefeso pela janela, matando-o numa queda de sabe-se lá quantos andares - e segue-se o diálogo que eu transcrevi lá no início do texto.


Vale dizer que a primeira vez que CHUCK NORRIS entra em cena é um verdadeiro choque, pois, apesar da barba fechada e da tradicional cara de buldogue, até um cego percebe que o pobre coitado ESTÁ VELHO DEMAIS! Mesmo assim, milagrosamente, CHUCK NORRIS mostra uma vitalidade tão grande ao longo do filme (e seu dublê nas cenas de luta é tão convincente) que o espectador até engole, e esquece o fato do ex-astro ser agora um sessentão que provavelmente sofre de artrite e reumatismo.

Mas voltemos ao filme: ressentido por não ter salvo a refém do seu contrato anterior, Shep logo ganha uma nova missão: Dirk (o vilão do começo do filme, lembra?) seqüestrou Isaac Teller (Bernie Kopell), que é um velho lapidador de diamantes (o "cutter" do título).


O motivo: o empregador de Dirk quer que Isaac use uma técnica impecável de corte de diamantes, que só ele conhece, para lapidar as duas pedras roubadas no Deserto do Sinai. Talvez fosse mais fácil pedir "por favor" ou pagar uma grana para o velhote, mas os bandidos preferem ir pelo lado mais difícil e seqüestram Isaac antes de tentar uma alternativa mais prática.

Para ter a certeza de que o lapidador não vai criar problemas, Dirk e seus amigos decidem, então, seqüestrar Liv (Joanna Pacula), sobrinha de Isaac. O problema é que a moça é ajudada por Shep, e Shep é interpretado por CHUCK NORRIS. Logo, eles terão muito trabalho pela frente.


Diz o IMDB que o roteiro de THE CUTTER demorou 10 anos para sair do papel (teria passado por três estúdios e foi reescrito umas cinco vezes antes de conseguir um produtor). Bem, do jeito que está, deveria ter continuado no papel por pelo menos mais uns 10 anos!!! Ora, se os caras demoraram uma década para tirar "isso" do papel, bem que podiam ter dado um pouco mais de atenção à história, já que o roteiro é um festival de pontas soltas e cenas sem razão de existir.

Há, por exemplo, um agente da Interpol interpretado por Aaron Norris (irmão de CHUCK NORRIS) que participa ativamente dos 20 primeiros minutos da trama, mas é morto por Dirk sem dizer a que veio!!! Sua presença não acrescenta absolutamente nada à história, e ele nem faz falta quando tem a garganta cortada de orelha a orelha.

Em uma cena sem nenhuma razão de existir, Shep vai dar uma olhada na casa de Isaac e o tal agente da Interpol está lá. O sujeito usa uma arma daquelas de choque para fazer o herói desmaiar, e fica por assim - na cena seguinte, Shep já está acordado e em outro lugar, e jamais se menciona novamente o ocorrido!


Mais adiante, um dos capangas do vilão surge disfarçado de funcionário da companhia elétrica, entra no apartamento do herói e sai na porrada com ele. Após apanhar como cachorro magro na porta do açougue, o bandido simplesmente LEVANTA E SAI CORRENDO, e Shep nem ao menos vai atrás dele para descobrir quem o mandou ou o porquê - o bandido foge e, novamente, fica por assim!!!

E por mais que CHUCK NORRIS seja DEUS, não tem como engolir a cena em que Shep corre pelas ruas da cidade munido apenas de um telefone celular e IDENTIFICA O BARULHO NUMA MENSAGEM DEIXADA EM SEU TELEFONE (!!!), encontrando o esconderijo onde os vilões estão com a maior facilidade!!!

Não bastasse tudo isso, durante uns 30 minutos no meio do filme, acredite se quiser, CHUCK NORRIS pára de dar tiros e socos para "investigar". Só que essa atitude não combina com um sujeito conhecido justamente por sua truculência, e ver CHUCK NORRIS procurando pistas e navegando na internet é tão deslocado quanto ver Charles Bronson tocando violino na Filarmônica de Viena!


O pior é que a trama escrita por Bruce Haskett (único crédito) é simples e rasa, mas ele insiste em tentar transformar a história em algo mais sofisticado do que ela realmente é, incluindo referências religiosas e até ao Holocausto (Isaac é sobrevivente de Auschwitz e passa o filme todo sofrendo com flashbacks da sua juventude no campo de concentração).

Haskett também consegue a façanha de incluir inúmeros flashbacks de coisas que aconteceram 10 MINUTOS ANTES!!! Muitas vezes, repete toda a maldita cena, como se o espectador não lembrasse de algo que viu 10 ou 15 minutos antes... Do jeito que está, até aquele cara do filme "Amnésia", que perdia toda a memória após cinco minutos, poderia assistir THE CUTTER sem problemas!!!

Não que esses detalhes façam qualquer diferença no filme, já que a história logo se encaminha para a luta final entre CHUCK NORRIS e o vilão - rápida e pouco emocionante, já que nosso herói não consegue chutar alto como nos áureos tempos. Na verdade, um dublê substitui CHUCK NORRIS na maior parte das cenas de luta (artifício usado também por Steven Seagal em vários dos seus filmes recentes), e a edição em estilo videoclipe, com cortes rápidos, disfarça um pouco o negócio...


Alguns podem dizer que THE CUTTER ficou do jeito que ficou porque CHUCK NORRIS está velho - tinha 65 anos na época das filmagens. Ora, isso não é desculpa! Charles Bronson tinha 64 quando fez "Desejo de Matar 3" e estava com 68 quando estrelou "Kinjite - Desejos Proibidos", e estes são dois filmaços, muito mais machos que THE CUTTER.

O grande problema é que CHUCK NORRIS mudou e não parece mais tão feliz em ser o herói mal-humorado e briguento que costumava interpretar nos velhos tempos. Sua cara de má vontade (ou preguiça) é visível nas cenas de ação (repare nas fotos desta resenha). Talvez ele prefira mostrar que tem bom coração, como na cena em que devolve à família da refém morta o dinheiro que lhe pagaram e sugere que invistam a grana numa bolsa de estudos para algum jovem carente; talvez ele prefira mostrar que é um homem mudado pela fé, como quando mostra seus conhecimentos religiosos em frente a um historiador.

Infelizmente, estas cenas retardam aquelas onde vemos o bom e velho CHUCK NORRIS saindo no pau com a bandidada e enchendo eles de tiros mesmo quando estão desarmados. E muita gente vai pegar no sono antes de ver a melhor parte, aquela onde Shep senta-se ao lado de Dirk num ônibus lotado e dispara: "Vai me dizer onde está Isaac Teller ou vou ter que arrancar de você?", antes de ambos trocarem catiripapos no meio dos passageiros!!!


Se CHUCK NORRIS realmente quer voltar a fazer filmes de ação - nem que seja contra a vontade, só para pagar a pensão da ex-mulher -, que tome antes um banho de loja e aprenda um pouco com seus imitadores e ex-colegas dos anos 80. Steven Seagal começou a fazer filmes exagerados imitando as produções de ação made in Hong-Kong; Stallone preferiu não esconder que está velho e fez de "Rocky Balboa" e "Rambo 4" dois filmaços.

Quem sabe CHUCK NORRIS não poderia nos surpreender com um "Braddock 4" qualquer hora dessas? Talvez lhe falte um diretor melhorzinho, já que THE CUTTER é assinado por William Tannen, que já havia dirigido o astro num de seus filmes mais convencionais e descartáveis, "Um Herói e Seu Terror".

Uma coisa é certa: se é para aparecer em produções medíocres e simplistas como este THE CUTTER, seria melhor que o ex-astro continuasse aposentado. Pois, se continuar nesse nível, teremos que começar a escrever CHUCK NORRIS em letras minúsculas, uma verdadeira ofensa!!!


- CHUCK NORRIS FACT nº 10.866: CHUCK NORRIS sofreu um acidente e entrou em coma por dois meses; neste ínterim, filmou todas as suas cenas em THE CUTTER!!!

PS: Mais assustador que as rugas na cara de CHUCK NORRIS é ver as outrora sex symbols Joanna Pacula e Tracy Scoogins (que fez filmes da Full Moon, tipo "Brinquedos Diabólicos", e era uma das minhas musas) velhas, feias e "embagulhadas", um verdadeiro choque para quem lembra das moçoilas no auge, fazendo tórridas cenas de sexo simulado!!! Envelhecer, definitivamente, é chato - tanto para quem envelhece, quanto para quem vê...

Trailer de RESGATE DE RISCO



*******************************************************
Resgate de Risco (The Cutter, 2005, EUA)
Direção: William Tannen
Elenco: Chuck Norris, Joanna Pacula, Daniel
Bernhardt, Bernie Kopell, Todd Jensen, Aaaron
Norris e Tracy Scoggins.

9 comentários:

Vulnavia disse...

Eu não entendo. Se as pessoas fazem plásticas no rosto pra "melhorar" a velhice, o povo reclama, se não fazem, reclamam também! Impossível agradar ser humano!

Enquanto isso eu espero a minha resenha prometida...

erikabranca disse...

Oi Felipe,
Acompanho seu blog e acho muito interessante. Parabéns.
Por acaso você sabe de algum site ou blog que disponibiliza os filmes que você posta aqui pra download?
Obrigada,
Erika

Felipe M. Guerra disse...

VULNAVIA, se o único problema do filme fosse a velhice do Chuck Norris...

ERIKA, o que mais tem nesse mundo é sites/blogs para download de filmes. Google it!

Jack, The Ripper disse...

Não tinha conhecimento deste filme, mas parece tão divertido pelo trailer.

Vulnavia disse...

Então faça resenha de filmes melhores!hahaha

JFelippe disse...

Vc falou em Jason Statham... hmmm, pois eh, nada contra o kra; ate sinto que deve ser uma pessoa mais ou menos, masss eh triste realmente a carência de heróis nesse novo século, pois Jason Statham eh o kra sem personalidade - ou de personalidade comum, como a de muitos outros kras nao muito bem humorados, que levam tudo a sério demais e desprovidos de um senso de humor esperto de uma Era perdida; esses kras entopem as academias de musculação, e acho curioso pensar nisso: Jason Statham é o exemplo perfeito desse tipo. Nada do senso de humor esperto de um John McClane, nada do estilo e da presença de um Richard Chance, nada da canastrice de um Jack Burton nem das kras divertidas de um Ray Tango em Tango & Cash; enfim, os tempos são outros e os heróis andam em baixa.

Lázaro disse...

Realmente achei o filme uma decepção. Lembro que as locadoras apostaram no filme, colocaram pôsters nas entradas, os pirateiros na rua gritavam "novo do xúqui norris!!"... Pensei, "Porra, não acredito,se ele fizer algo na linha dos filmes do Lundgren direct-to-vídeo já tá ótimo... mas não. Norris cansado (coisa que ele já demonstrava: vide "O protetor", "Bells of inocence", "Top Dog")e um roteiro enfeita-pavão. Tive de voltar pro clássico "Fúria silenciosa" e até revi (como diversão camp, lógico) "Comboio da carga pesada" (que merece uma resenha aqui)com lágrimas nos olhos.

Fernando disse...

Não é a primeiva vez que o velho Chuck Norris se mete em uma pataquada. Nos anos 80 o cara atuou em uma comédia de ação que mais fazia rir pela canastrice dos atores do que pelas (supostas) cenas engraçadas.

Guigo Varda disse...

Que pena que esse é o ultimo filme dele. E será que é verdade que ele vai estar no The Expendables 2?

E agora pra provar que eu sou revoltado, vou escrever o nome dele assim: chuck norris

CHUCK NORRIS FACT nº 10867: CHUCK NORRIS fez um filme tão ruim que perdeu seus facts para CHARLIE SHEEN!!!