sábado, 18 de outubro de 2008

BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE (1976)


Não, você não leu errado: o nome deste filme de 1976 é realmente "Bruce Lee Lutando de Volta do Túmulo", e fico só imaginando a reação dos familiares do verdadeiro Bruce Lee, falecido em julho de 1973, ao verem pipocar produções mórbidas como esta e "Os Clones de Bruce Lee" (aquele em que sangue retirado do cadáver do ator é usado para criar cópias programadas para combater o mal). Mas se "Os Clones..." pelo menos citava abertamente o ator, BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE simplesmente tem título e argumento completamente mentirosos, numa estratégia "pega-bobo" criada pela distribuidora norte-americana do filme para promovê-lo e aproveitar a onda chamada "Brucesploitation".

Este bizarro subgênero (que merecia no mínimo um livro caprichado) surgiu na metade dos anos 70, um pouco antes e logo depois da morte do verdadeiro Bruce Lee, quando outros atores orientais passaram a se auto-atribuir nomes semelhantes ao do astro para tentar enganar o público norte-americano, então ávido pelas aventuras baratas vindas de Hong-Kong. Embora o verdadeiro Lee só tenha feito quatro filmes completos (cinco, se contarmos "O Jogo da Morte", que só foi completado em 1978), seu legado de filmes de ação continuou através dos socos e chutes de outros atores, como Ho Tsung-tao (rebatizado "Bruce Li"), Huang Kin-lung (rebatizado "Bruce Le"), Leung Siu-lung (rebatizado "Bruce Liang") e Vyachaslev Yaksysnyi (rebatizado "Dragon Lee"), entre outros.

Em BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE, o clone da vez é Jun Chong, um campeão de taekwondo que, com a morte de Bruce Lee, passou a usar o nome artístico "Bruce K. L. Lea" (cruz-credo!). Só que a única semelhança entre Bruce K. L. Lea e Bruce Lee é o fato de ambos terem o cabelo preto - e, claro, dois olhos, um nariz, uma boca, duas orelhas... De resto, não há nada de "imitador de Bruce Lee" em Lea além da pretensão.

Bem, a história desta produção bizarra é igualmente bizarra: o filme é uma co-produção entre Hong-Kong e Coréia do Sul que, originalmente, não citava o nome de Bruce Lee, apesar de ser estrelada por um dos seus muitos imitadores. O título original era "America Bangmungaeg", e não vá me perguntar o que isso significa. Como nos EUA da época havia a febre dos cinemas grindhouse, que exibiam qualquer tosquice para uma platéia ávida por filmes de baixa ou nenhuma qualidade, a distribuidora norte-americana Aquarius resolveu faturar em cima da "Brucesploitation": comprou os direitos de exibição de "America Bangmungaeg" e mudou o nome para o enganoso e antológico BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE.

Mas foi além: criou um pôster com o desenho de Bruce Lee saindo do túmulo e a frase "You can't keep a good man down". Também mandou para os cinemas um trailer completamente apelativo narrando "o retorno de Bruce Lee do túmulo" após um pacto com o "Anjo Negro da Morte". Durante a colagem com as cenas de luta do filme, o narrador do trailer anunciava, com sua voz cavernosa: "Ele nunca morreu... Ele voltou do túmulo em busca de vingança"! Pode?

Só que aí os caras deram um tiro no próprio pé. Afinal, o tal filme que compraram não mostrava Bruce Lee voltando do túmulo, nem com muita boa vontade. A solução encontrada foi filmar um prólogo que não estava na montagem original, com apenas 20 segundos, num cemitério de Los Angeles. A câmera dá um close numa lápide onde lê-se "Bruce Lee 1940-1972" (perceba que erraram até a data da morte), e então, entre raios e trovões, um baixinho sem camisa sai pulando de dentro da sepultura e fica em posição de combate! Pronto: entra o título BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE , e o filme continua como havia sido anteriormente filmado. Aí o espectador precisa "imaginar" que o personagem de Bruce Lea na trama é o Bruce Lee ressuscitado. Dá pra acreditar?

Detalhe: quer dizer então que Bruce Lee foi sepultado sem caixão, sem camisa e vestindo apenas uma calça jeans?

Bruce Lee volta do túmulo



Resolvido o problema com a questão da propaganda enganosa (boatos dão conta de que este prólogo capenga de 22 segundos teria sido filmado pelo italiano Umberto Lenzi, informação nunca confirmada), o filme continua conforme foi feito pelo diretor coreano Doo-Yong Lee, sem zumbis de Bruce Lee e sem túmulos.

A trama acompanha Bruce Lea chegando em Los Angeles à procura de um amigo de infância, Go Ha Han. Após dar cabo de um taxista ladrão de passageiros (numa das muitas cenas ridículas desta obra-prima), Lea chega até o prédio onde o amigo morava e descobre que estão fazendo seu funeral. Aparentemente, o coitado suicidou-se ao se atirar do telhado do prédio.

Mas é claro que Lea logo suspeita que tem sujeira da grossa no esquema. E, sempre carregando amarrada ao pescoço uma caixa de madeira com os restos mortais do falecido cremado (!!!), ele circula pela cidade em busca dos possíveis responsáveis pela morte do amigo.

Após salvar uma conhecida de Han, Susan (a gatinha e futura scream queen Deborah Chaplin), de ser estuprada por um gigante sem camisa num estacionamento (!!!), o casal une forças para investigar o misterioso "suicídio". Logo descobrem uma complicada trama envolvendo tráfico de drogas e os chefões do crime de Chinatown.

Escrevendo assim, até parece que há uma história para acompanhar. Acredite: NÃO HÁ! O roteiro de Chee Do Hong (este é, compreensivelmente, seu único crédito) é uma verdadeira zona, que apenas vai pulando de uma cena de luta para outra sem explicação.

Logo no começo, por exemplo, Lea é atacado por um negro enorme vestido com capa (parece o Batman!) e segurando um machado numa das mãos. Sem se justificar, o negão sai dando porrada no herói, que se defende dando uns gritinhos ridículos (imitando o verdadeiro Lee, mas de maneira muito exagerada e cômica). Resultado: o bandido de capa é morto a socos e chutes.

Bruce Lea versus Batman!



Corta então para Lea preso e ouvindo a maior mijada dos policiais. "Você vai fritar, cara!", ameaça um deles. Subitamente, alguém telefona para o delegado avisando que a fiança de Lea está paga, e o herói simplesmente sai da delegacia como se nada tivesse acontecido! Nada mal para quem estava quase condenado à pena de morte, não? Antes, porém, ele ainda dispara uma pílula de sabedoria oriental: "Ah... Uma súbita mudança de sorte no esquema dos fatos!". hahahahaha

Mais adiante, Lea e Susan estão andando de carro por Chinatown e o herói pede para a garota estacionar. Ele então se aproxima do primeiro cara que vê parado na calçada, lhe dá uma bofetada no rosto e ordena: "Me leve para o seu chefe!". E o sujeito obedece, levando Lea até o esconderijo de um poderoso chefão do crime. O herói sai na porrada com o sujeito e, quando este vai abrir o bico para falar a verdade sobre o que aconteceu a Han, é atingido mortalmente por uma estrelinha ninja. Agora, cá entre nós: que técnicas investigativas Lea utilizou para descobrir que o cara estava metido no esquema? E mais: por que o assassino silencioso não matou também o herói, para impedir que ele continuasse investigando?

O filme ainda inclui dezenas de cenas sem nexo, como aquela em que Lea e Susan vão comprar um carro (!!!), ou a aparição de um sujeito inexplicavelmente vestido de cowboy (!!!), acompanhado por um lutador de luta livre (!!!). No fim, descobre-se que Go Ha Han é o grande vilão. Ele simulou a própria morte para poder escapar com um milhão de dólares em heroína que pertenciam à quadrilha para quem trabalhava. A muamba, como você já deve ter desconfiado, está escondida naquela caixa de madeira com os supostos "restos cremados" do falecido, e que Lea ficou levando para lá e para cá o filme inteiro. Assim, tudo termina na tradicional luta final entre vilão e mocinho.

Sou só eu, ou mais alguém viu o roteiro como uma versão tosca do clássico "O Terceiro Homem", de Carol Reed?

BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE é um daqueles filmes magneticamente ruins, onde a coisa é tão tosca e absurda que você não consegue desgrudar os olhos da telinha da TV. Como filme de ação, pelo menos, é nota zero: sonolento, mal-feito e desnecessariamente confuso. Mas, como comédia involuntária, é tão engraçado quanto as produções de Al Adamson e David A. Prior. Ah, também tem uma pequena participação de Shô Kosugi (dos clássicos "Ninja - A Máquina Assassina" e "Ninja 3 - A Dominação") antes da fama.

O diretor Lee não tem qualquer noção de narrativa. Tudo acontece ao acaso no filme, os bandidos surgem do nada ou são encontrados acidentalmente pelo herói, a "investigação" é bisonha e até o grande vilão precisa se desmascarar, porque o herói não é capaz de descobrir nada do mistério por conta própria. E há ainda ridículos erros de continuidade, do tipo personagens que estavam num jóquei-clube aparecendo misteriosamente dentro de uma casa, ou o herói e um vilão se encontrando num estacionamento e subitamente trocando porradas num ringue de boxe (!!!).

Lá pelas tantas, numa das muitas cenas completamente cretinas, Lea tem o carro roubado e precisa ir a pé até um encontro com Susan. No caminho, topa com um desfile de carros alegóricos e fica assistindo em meio ao multidão. Acredite se quiser, mas a cena dura uns 5 minutos: a equipe realmente filmou um VERDADEIRO desfile de carros alegóricos, e intercalou cenas do evento com closes de Bruce Lea olhando aquilo com cara de maravilhado. Detalhe: sempre que a câmera filma a multidão, aparece alguém fazendo tchauzinho! De rolar de rir!

Bruce Lea versus taxista!



Não bastasse os atores orientais serem porcamente dublados em inglês - principalmente Lea; toda vez que ele abre a boca, é um festival de gargalhadas -, o tal "imitador de Bruce Lee" não funciona nem fisicamente, nem lutando. Isso porque o sujeito simplesmente não consegue lutar, e, para piorar, ele próprio é o coreógrafo das cenas de pancadaria.

Pelo menos duas delas foram filmadas com os atores fazendo os movimentos lentamente, e depois as cenas foram aceleradas na edição (percebe-se claramente, e aí a coisa fica ainda mais trash). E em todas as demais trocas de sopapos, as mãos e pés de Bruce Lea passam tão longe do rosto dos adversários que eles só podem estar caindo estatelados de susto, ou pelo atrito do deslocamento de ar entre punhos e face.

Ah, sim: TODA luta termina com um "replay" em câmera lenta do último e melhor golpe, aquele que nocauteia o vilão (e resta saber porque Lea não dá este golpe por primeiro... hehehe), como se fosse um jogo de fliperama!!! Pena que, em câmera lenta, fica ainda mais evidente o fato dos golpes passarem dois metros longe do "alvo".

BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE foi lançado no Brasil num DVD tão tosco quanto o filme, pelo selo Kives (uma "subsidiária" dos pirateiros da Works Editora). A matriz parece ter sido uma velha e gasta fita cassete dublada em inglês, o que só dá mais ar de grindhouse para o programa. O título em português é tão enganador quanto o norte-americano ("Bruce Lee - A Marca do Dragão"), e o resumo no verso da capinha é aquela mesma mentira anunciada no trailer, falando sobre a ressurreição de Bruce Lee para enfrentar o Grande Anjo Negro da Morte. A não ser que alguém me convença de que o negão vestido como Batman que aparece no início é o tal "Grande Anjo Negro da Morte", não existe nada disso no filme.

Então, sem túmulos, Bruce Lee-zumbi ou retorno da morte, BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE é apenas uma tosquice, uma enganação, que só recomendo aos fãs de cinema ruim e apelativo. Visto com este espírito, é de morrer de rir. O único que não deve ter achado graça é o verdadeiro Bruce Lee. Mas como ele nunca lutou de volta do túmulo, azar o dele!

Trailer de BRUCE LEE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE



***************************************************************
America Bangmungaeg (1976, Hong-Kong/Coréia do Sul)
Direção: Doo-yong Lee e Umberto Lenzi (?)
Elenco: Bruce K. L. Lea (Jun Chong), Sarah
Chaplin, Debby Tebora, Su-cheon Bae, Anthony
Bronson e Mun-ju Kim

17 comentários:

Ronald Perrone disse...

Caramba, meu pai há algum tempo apareceu com o dvd desse filme aqui em casa dizendo que era do Bruce lee e eu nem dei atenção pro velho. Agora vou lá procurar pra me divertir com essa tosqueira toda. hahah

Leandro Caraça disse...

Mais apalermado que "Bruce Lee vs the Gay Power" e mais escalafobético que "Bruce Lee Fights From the Grave". Conheçam "Dragon Lives Again", onde Bruce Lee vai para o inferno e enfrenta James Bond (?), Zatoichi (??), Clint Eastwood (???), Emmanuelle (????) e ... o marinheiro Popeye (?*#@&) !!!
http://www.geocities.com/many_bruces/reviews/dragonlivesagain.htm

Takeo Maruyama disse...

Pô, Felipe, acho que você foi um pouco cruel com o protagonista Jun Chong (Bruce K. L. Lea foi um pseudônimo que colocaram só pra distribuição internacional, pois o próprio nunca pensou em ser um imitador, visto que sua semelhança com Lee é zero), pois eu achei as lutas até que bem aceitáveis pelo nível trash desse filme. Pode ser que ele não saiba lutar pra câmera, resultando daí essas gafes visuais dos golpes passando longe do oponente, mas é injusto acusá-lo de não saber lutar pois ele tem uma academia de taekwondo em Los Angeles. E convenhamos, os chutes dele no filme são bem bacanas, vai.

Takeo Maruyama disse...

A propósito, esse é o site do astro :

http://www.junchongtkd.com/ma.html

E um fansite dessa "obra-prima" trash :

http://www.freewebs.com/bruceleefightsback/

Felipe M. Guerra disse...

RONALD - Divirta-se! hahaha.

LEANDRO - Uau! Vou procurar esta maravilha!

TAKEO - Posso ter sido injusto mesmo, mas é que a coreografia tosca do filme e a nulidade da direção realmente deixam a impressão de que ele não sabe lutar e só está "enganando". Vi no IMDB que o Jun Chong só fez outros 5 filmes, e não lembro de ter assistido a nenhum deles para poder saber se o homem realmente luta bem, mas já na época do BRUCE LEE FIGHTS BACK... ele era campeão de taekwondo. Entretanto, se depender do filme, o que parece é que ele não luta nada! hahaha.

Bruno ´Dolman´ disse...

O anjo Negro da Morte deve ser o negão Batman mesmo. Pelo menos no cartaz do filme parece ele! :P

Se o DVD Nacional tivesse o título BRUCE LLE FIGHTS BACK FROM THE GRAVE eu comprava na hora! Nem sabia que esse MARCA DO DRAGÃO se tratava dele.

Felipe M. Guerra disse...

E reparem que neste cartaz norte-americano do filme, o diretor é creditado como um tal de BERT LENZI!!! Mistérios...

takeshi disse...

Felipe, há muito tempo não ouvia algo tão engraçado de um filme tosco! Bruce Lee volta do túmulo, filme sem roteiro, huahuahua e ainda lançam essa bagaça em DVD?!?! no Brasil?! É de ficar de boca aberta com tantos absurdos. Parabéns pelo blog.

Allan Veríssimo disse...

Um filme que voce devia comentar era um sobre vampiros...japoneses!Não sei o nome do filme,mas o trailer(que eu vi num documenatrio sobre vampiros) fala sobre os 7 irmãos e a irmã do Dracula que querem matar ele(japoneses)e lutam kung-fu em plena luz do dia!Isso sim é que é trash!

Anônimo disse...

Este coreano só não é mais tosco que o Dragon Lee. Os caras apelaram muito com a morte de Bruce Lee. A música do trailer é muito bizarra. Parece música de carrinho de algodão doce! Blog muito legal! Parabéns!

Anônimo disse...

E além de tudo, a capa no alto da matéria é uma montagem muito tosca feita com a capa do Bat Out Of Hell, do Meat Loaf, é só comparar as duas.

jonathan ribeiro disse...

kkkk,que tosco.

DiegoSater disse...

A Brucesploitation continua acontecendo até hoje só que levaram para o lado comédia, pode-se ver imitações dele em vários filmes a maioria infantis. Toy Story 2, no inicio do filme, O rei leão, o macaco luta bem ao estilo dele no final. E no George rei da floresta os gorilas usam nunchakus idem, somente pra citar alguns exemplos.

Anônimo disse...

Eu tenho esse filme, quando vi pela primeira vez fiquei rindo, pq não tinha nada ave com a história contada "bruce lee volta do tumulo para lutar contra o anjo da morte"
hasuhasuhas muito tosco

Anônimo disse...

Eu tenho esse filme galera pq sou muito fan do bruce lee...mais realmente esse a marca do dragao ñ tem nada a ver!

Anônimo disse...

Felipe, uma sugestão para as suas próximas resenhas é o um clássico da bruceploitation, "Dragon Lives Again" Onde Bruce vai para o sub-mundo e encontra Elvis, marinheiro popeye, entre outros, seria muito legal vc fazer uma postagem sobre esse filme que é o mais apelativo da bruceploitation!

Leonardo Peixoto disse...

A trama sobre Bruce Lee ressuscitando para enfrentar traficantes de drogas lembrou-me da teoria da conspiração de que o ator sino-americano foi morto pela máfia chinesa ! Falando nisso , a teoria de que um cabal secreto de mestres de artes marciais assassinou Lee por ter revelado muitos segredos aos não-orientais renderia um interessante filme brucesploitation , com Bruce Lee fazendo um pacto com o Anjo Negro da Morte para voltar à vida e impedir os planos do cabal para dominar o mundo !