sexta-feira, 19 de setembro de 2014

C'EST FINI (?)


"Eu, o blog e a Maratona Jess Franco entramos em recesso a partir de hoje para o Fantaspoa 2014. Até breve!"

Com esta singela frase, publicada ao final da resenha de "Vênus em Fúria" em 5 de maio de 2014, eu me despedi sem querer do FILMES PARA DOIDOS por um período que, até o momento, já dura quatro meses e 10 dias. Não foi algo planejado, e eu realmente estava me preparando para retomar as postagens (e a inacabada Maratona Jess Franco) ao final daquele mesmo mês de maio.

Mas muitas coisas aconteceram a partir de então e adiaram o meu retorno.

Eu criei o FILMES PARA DOIDOS como uma espécie de válvula de escape em outubro de 2008. À época, eu vivia na minha pequena cidade-natal na Serra Gaúcha, trabalhava como jornalista há 16 anos no jornal de lá e escrevia críticas e artigos para a Boca do Inferno, o maior portal sobre cinema fantástico da América Latina, fazia já uns cinco anos.

A maior parte dos leitores que começaram a me acompanhar no FILMES PARA DOIDOS já conhecia meu trabalho na Boca do Inferno (onde eu tinha a limitação de só escrever sobre horror/suspense), ou como cineasta independente, outro ramo da cinefilia ao qual me dedico desde 1996.

Mas aos poucos o FILMES PARA DOIDOS ganhou seu próprio público fiel, o que me fez dar atenção exclusiva a ele (abandonando a Boca do Inferno).

Desde 2008, quando criei o blog, eu abandonei minha vidinha tranquila e meu emprego de jornalista lá na Serra Gaúcha para morar quatro anos em São Paulo, onde fiz meu Mestrado, e agora embarquei numa nova aventura ao mudar-me para Porto Alegre, para assumir um emprego como gerente de cinema no Cine Santander Cultural - a única maneira que encontrei para ganhar dinheiro com cinema desde que me conheço por gente, já que nunca consegui tirar meu sustento com meus filmes independentes ou com meus textos e artigos.

Toda mudança envolve, como o nome já diz, mudanças, adequações e reviravoltas na nossa vida cotidiana. Desde o começo de junho, quando me mudei em definitivo para Porto Alegre, pulei de um apartamento "improvisado" para outro finalmente alugado, mas continuo sem internet em casa por burocracias da vida moderna. Além disso, ter novamente um trabalho fixo exige uma atenção e um comprometimento enormes, que me mantiveram longe do FILMES PARA DOIDOS durante todo esse tempo.

Eu resolvi manter o blog sem atualizações durante esses quatro meses e 10 dias, mas entrando uma vez por semana, ou a cada 15 dias, para pelo menos moderar os comentários, pois seria uma atividade mínima para manter o FILMES PARA DOIDOS atualizado e "vivo". Eu obviamente tenho acesso à internet no trabalho, mas quase todos os sites "interessantes" são bloqueados aqui por motivos óbvios, incluindo o Blogspot (explico isso antes que algum leitor espertalhão sugira que eu comece a atualizar o FILMES PARA DOIDOS nas minhas horas de folga no expediente!).

E foi basicamente por essas coisas somadas (mudança + novo trabalho sem horário fixo que exige muito de mim + falta de internet em casa) que eu deixei o blog às moscas durante todo esse tempo, e se agora faço essa postagem explicando a situação é porque não imaginava tanto carinho e "pedidos de volta" dos leitores do FILMES PARA DOIDOS, como visto nos comentários dessas últimas semanas. Eu às vezes esqueço que o blog tem leitores fiéis, seguidores fiéis, que passam os dias esperando por uma nova postagem.

Na verdade, eu às vezes penso que ninguém lê o que eu escrevo, e que todo esse meu esforço é em vão. É ótimo saber que estou errado, e que existem pessoas que sentem minha falta (ou sentem falta do FILMES PARA DOIDOS, mas uma coisa não existe sem a outra). É por causa dessas pessoas que estou publicando essa justificativa para o sumiço, para que não pensem que eu morri, fugi ou abandonei tudo.

"Escolha um trabalho de que gostes e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida", disse (ou ao menos reza a lenda) o famoso filósofo Confúcio. O problema é exatamente isso: eu adoro o que faço aqui no FILMES PARA DOIDOS, mas já há alguns anos aquele HOBBY virou um TRABALHO, algo que me consome muito tempo, esforço e pesquisa.

Quem voltar às minhas primeiras postagens, lá em 2008, perceberá que são textos bem simples (simplórios até), trazendo unicamente minhas impressões sobre os filmes com algumas piadinha pontuais. Postagens mais recentes, entretanto, são verdadeiros tratados de pesquisa sobre o tema analisado. Acho, sinceramente, que esse é um diferencial do FILMES PARA DOIDOS para outros blogs e até para o jornalismo cultural hoje vigente em revistas e jornais.

Por exemplo, é muito fácil escrever sobre os vários filmes produzidos com o personagem Django, mas pouquíssimos jornalistas, pesquisadores, blogueiros, etc etc, se dariam ao trabalho de (re)ver todos esses filmes para escrever minuciosamente sobre eles, ao invés de simplesmente reproduzir as informações mais básicas que já estão espalhadas aí pelos quatro cantos da internet.

A própria Maratona Jess Franco é algo inédito em português, com a análise quase obsessiva das várias montagens de um mesmo filme, e às vezes são três ou quatro (tenho certeza que minha postagem sobre "A Virgin Among the Living Dead", jamais publicada por causa do recesso, será a mais completa análise sobre este filme e suas várias montagens durante um bom tempo em TODA A INTERNET, ou pelo menos até que outra pessoa seja louca como eu para debruçar-se durante tanto tempo sobre um filme desses).

Enfim, fazer o FILMES PARA DOIDOS dessa maneira que eu gosto e vocês gostam (ou pelo menos eu acho que gostam) me consome muito tempo e resulta em um trabalhão no limite do Transtorno Obsessivo-Compulsivo. E eu comecei a me preocupar MUITO comigo mesmo quando gastei uma bela grana comprando um livro importado já esgotado sobre a carreira do cineasta holandês Paul Verhoeven via internet apenas porque queria ter mais subsídios para escrever sobre um dos filmes dele, "Conquista Sangrenta"!

Ninguém mais faz isso de graça; aliás, acho que nem jornalistas QUE GANHAM SALÁRIO fazem isso, pois é mais fácil chupar informações do IMDB ou da Wikipédia!!! Alguns amigos aposentaram temporariamente os seus blogs de resenhas com três ou quatro parágrafos alegando falta de tempo, e até o Cinema em Cena, maior portal brasileiro sobre cinema ("maior" em tamanho, não em qualidade), resolveu pendurar as chuteiras alegando que não tem mais condições de continuar (eles que ganham dinheiro com a coisa). Logo, acho que eu também tenho o direito de passar um período de papo para o ar, não é?

O problema é que, como muito bem observou um leitor nos comentários, o FILMES PARA DOIDOS não paga minhas contas. Aliás, não paga nem uma cervejinha no final da tarde para comemorar a postagem de um mega-super-hiper-ultra artigo, tipo aquele do pornô em 3-D, ou aquele outro sobre filmes com cowboys negros. Eu estava fazendo um trabalho de pesquisa muito mais completo que jornalistas profissionais e empregados em jornais e revistas DE GRAÇA! Ou vocês já viram algum outro débil-mental procurar e entrevistar os atores brasileiros que foram coadjuvantes num filme obscuro tipo o "Black Demons", do Umberto Lenzi?

É por tudo isso que, até segunda ordem, o FILMES PARA DOIDOS ficará de recesso: porque eu prefiro colocar meu TOC e minha paixão pelo trabalho num emprego remunerado, como esse em que estou agora. Quando eu conseguir sossegar e voltar a enxergar o blog como um hobby, e não um trabalho que estou fazendo de graça, aí eu voltarei para ele. Até porque não consigo encontrar o mínimo tempo livre para minhas postagens gigantescas quando estou envolvido não apenas com um trabalho fixo e que exige minha atenção fora do horário de expediente, mas também com a remontagem do meu novo curta-metragem, "O Estripador da Rua Augusta", e com a pré-produção de dois "novos velhos" projetos - um documentário sobre o cineasta italiano Luigi Cozzi (com quem tenho mais de 6 horas de material, filmadas ainda em 2010!) e outro sobre o cineasta independente catarinense Petter Baiestorf (com quem tenho umas 30 horas de filmagens, feitas entre 2011 e o ano passado).

A propósito: meus textos que estão sendo publicados na Boca do Inferno, e que alguns leitores julgam ser o motivo para o abandono do blog, são bem antigos e estão sendo republicados pelo site sem que eu mude sequer uma vírgula neles (adoraria atualizá-los e até mesmo reescrever a maioria, mas realmente não me sobra tempo). Eu não escrevo nada novo para a Boca desde 2011, pelo que me lembro.

O que posso dizer a vocês com certeza é que o FILMES PARA DOIDOS não vai acabar. Mas o trabalho que paga as minhas contas merece exclusividade nesse momento e pelos meses vindouros, pelo menos até que eu esteja plenamente estabelecido e mais tranquilo em todos os sentidos.

Até lá, eu pretendo estudar formas de conseguir ganhar dinheiro com o FILMES PARA DOIDOS. Já tive e já recebi diversas e boas ideias, mas nem todas são facilmente executáveis sem um capital inicial mínimo. Inclusive o meu sonho, a curto prazo, é publicar um livro com (parte d)o material do blog, que provavelmente se chamaria "Filmes para Doidos - Volume 1" e poderia dar origem a uma série caso fosse viável economicamente. É evidente que os textos escolhidos para publicação teriam que ser revisados e adaptados para o formato, ou então o livro viraria uma enciclopédia de mil e poucas páginas. Também gostaria de transformar o material sobre Django aqui publicado e a minha pesquisa de mestrado, sobre a figura do Diabo no cinema brasileiro, em livros, porque eu sou de uma geração que gosta de ter o livro na mão e folheá-lo, mesmo contando com informação gratuita na rede.

(Se você, que está lendo isso, for um editor com interesse em abraçar algum desses projetos, por favor avise! Minha ideia inicial era fazer projetos de financiamento coletivo para os livros, mas ao mesmo tempo eu prefiro eliminar o processo braçal da coisa - diagramação, correr atrás de gráfica, orçamentos da coisa toda... - e me dedicar apenas a escrever.)

Seria lindo ganhar dinheiro para escrever sobre as coisas que eu gosto! Se vocês tiverem ideias melhores (e facilmente aplicáveis), eu também adoraria ouvir.

Depois de tudo isso, talvez alguns leitores fiéis do FILMES PARA DOIDOS continuem inquietos. "Mas afinal, quando o blog vai voltar?", podem continuar perguntando nos comentários, que eu continuarei moderando e publicando de tempos em tempos.

Voltar? Ora, mas o FILMES PARA DOIDOS nunca saiu daqui! Ele sempre existirá, perpetuando essas mal-traçadas linhas sobre vossos filmes do coração, sobre tranqueiras inimagináveis e sobre temas divertidíssimos que outros pesquisadores/jornalistas/blogueiros não julgam tão importantes. Já leu tudo que foi publicado desde 2008? Em caso negativo, navegue pelo índice e divirta-se.

Fato é que enquanto houverem filmes e enquanto houverem doidos, o FILMES PARA DOIDOS nunca vai terminar!

Até a volta.