quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Antônio das Mortes vs. Capitão Nascimento


Sete SEMELHANÇAS entre Antônio das Mortes e Capitão Nascimento:
1- Ambos são a criação mais famosa e popular de seus idealizadores (respectivamente, Glauber Rocha e José Padilha).
2- O primeiro mata cangaceiros, o segundo mata traficantes, mas nenhum deles jamais questiona a sua missão no primeiro filme. Afinal, "Missão dada é missão cumprida".
3- Ambos percebem que "o inimigo é outro" (os poderosos, ou o sistema) e que estão lutando pela causa errada, mas somente em seu segundo filme.
4- Apesar de terem plena consciência de que travam uma luta inglória (e impossível de vencer), ambos sacrificam suas posições ao bater de frente com esse novo inimigo.
5- Ambos apareceram originalmente como personagens coadjuvantes em seus filmes de estréia, mas acabaram ofuscando os protagonistas.
6- Ambos foram alçados a personagem principal em seu segundo filme.
7- Antônio das Mortes e o Capitão Nascimento são os personagens mais populares de seus intérpretes (respectivamente, Maurício do Valle e Wagner Moura).


Sete DIFERENÇAS entre Antônio das Mortes e Capitão Nascimento:
1- O Capitão Nascimento é dono de um amplo repertório de frases antológicas, como "Bota na conta do Papa" e "Senta o dedo nessa porra". Já Antônio das Mortes... err... bem, deixa pra lá.
2- Enquanto um veste roupa "cool" toda preta, o outro tem... hã... um lencinho cor-de-rosa no pescoço!
3- Quando o Capitão Nascimento atira em alguém, este alguém cai morto e estatelado. O alvo dificilmente sai rodopiando que nem pião, como os cangaceiros alvejados por Antônio das Mortes.
4- A não ser que tenha algum distúrbio do sono, você dificilmente vai dormir vendo as aventuras do Capitão Nascimento.
5- Você consegue assistir os filmes do Capitão Nascimento mais de uma vez (e isso é até prazeroso).
6- Dá a maior vontade de ver mais aventuras do Capitão Nascimento.
7- O cineasta e "pai" do Capitão Nascimento, José Padilha, não é um completo mala (aparentemente). E não tem nada contra cinema de gênero, pelo contrário.


CONCLUSÃO
Pede pra sair, Toninho!

12 comentários:

Alexandre Gil disse...

Olá sujeito,
não me lembro do glauber rocha ter dito nada especificamente contra o cinema de gênero até onde eu sei ele curtia faroestes e foi o primeiro a valorizar o Mojica.

Felipe M. Guerra disse...

ALEXANDRE, se você ler o "Cartas ao Mundo" (livro ideal para presentear o seu pior inimigo), vai encontrar várias manifestações do Glauber contra o cinema de gênero, o cinema comercial e o que ele chama de "cinema americano". Para ele, inclusive, o único cinema "puro" seria o cinema autoral - ou seja, essas patacoadas que ele fazia.

E é realmente uma hipocrisia do sujeito, considerando que ele usou elementos de western em "Deus e o Diabo" e "Dragão da Maldade".

sitedecinema disse...

Engraçadíssimo, Felipe.
Vale dizer q o Padilha é UM entre vários ´idealizadores´ do personagem (me refiro a quem escreveu): além dele, os dois autores do livro e os outros roteiristas)
mandei um email para ti sobre o causo/mistério ´Joe D´Amato em PIECES´. Confira lá.

Artur disse...

eu não gosto muiito desse negócio de duelos entre personagens principais durões, até porque ambos pegaram o gosto por caçar bandidos, então já que compartilham da nesma opinião, fico imaginando metade desses caras durões num bar em volta de uma mesa tomando cerveja, conversando e dando risada.

"não ser que tenha algum distúrbio do sono, você dificilmente vai dormir vendo as aventuras do Capitão Nascimento."

???????, eu dormi normalmente a noite assistindo os 2 Tropas de Elite.

Leandro Caraça disse...

Capitão Nascimento, assim como a turma do Bope, precisa recarregar as armas. Antônio das Mortes, por sua vez, dispara 50 tiros de uma só vez, e ainda consegue matar uma multidão sem pestanejar ou arrumar a peruca. E já que o Zé do Caixão e o Luz Vermelha voltaram a ativa, por que não ressuscitar o Antonio das Mortes ? Candidatos a novo Glauber é o que não faltam !

adailton disse...

Artur,

Não é que você vai deixar de dormir por causa dos filmes do Cap. Nascimento cara. O que o Felipe quis dizer é que dificilmente você vai dormir enquanto ESTÁ ASSISTINDO o filme. Ao contrário dos filmes do Mala Rocha que são monótonos e são difíceis de segurar bocejos já nos primeiros minutos de exibição.

José Guilherme Wasner Machado disse...

Poxa, não vai ter nem uma foto com a Melody Anderson mostrando seu talento dramátido??

Anônimo disse...

não colou o que vc falou do antonio das mortes e do glauber. sory, tenta na proxima

Brenda disse...

acho que a questão de vcs é mais como a guerra nas favelas é mais "emocionante" do que o cangaço, e como uma produção atual supera um filme nacional da década de 60

tanto Antonio das Mortes como Capitão Nascimento são machos pra caramba, mas cada um em seu contexto. não da para simplesmente por um do lado do outro e comparar

Felipe M. Guerra disse...

Gente, isso aqui é pura e simplesmente uma brincadeira, uma comparação jocosa entre dois personagens-ícones do cinema brasileiro (um de agora e um de outrora), e meio que uma provocação em cima de uma frase recente do Fernando Meirelles (que disse que "Tropa de Elite 1" era melhor que qualquer filme do Glauber Rocha). Parem de levar as coisas tão a sério!

E ao ANÔNIMO: com um pouco de sorte, em 10 anos ninguém mais vai lembrar desse porra de Glauber Rocha, já que a geração puxa-saco dele (especialmente os professores de cinema mais velhinhos) terá partido dessa para uma melhor.

pedro junior disse...

Felipe

Em alguns pontos, concordo com você sobre o Glauber, acredito que ele é superestimado pela crítica. Apesar disso, gosto de "Terra em Transe" e acredito que "Deus e o Diabo" tem suas qualidades. Agora, em termos de diálogo com o público, penso que o Mojica está muito a frente do Glauber. Percebe-se isso claramente em "Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver", por exemplo, no qual a crítica à religião é bem mais contundente. Os filmes de Mojica com o Zé do Caixão também tem inúmeros diálogos memoráveis, com um senso de humor ácido que a gente não imagina num filme do Glauber. E há vários outros diretores do período, que na minha opinião, são superiores a ele: Roberto Farias, Person, Anselmo Duarte, Nelson Pereira dos Santos...

Célio Ishikawa disse...

Olá Felipe! Me lembrei desse seu post na hora em que tava elaborando os 31 filmes de incômodo com a sociedade (uma resposta/alternativa aos 35 filmes de esquerda).
Sei que não concordaria mas coloquei Tropa de Elite do lado do "Deus e o Diabo/Dragão". Na parte da Tropa, coloquei link tanto para esse seu post comparativo quanto para aquele outro em que você escreve sobre a Tropa 2.
A lista está em 31 filmes incomodo para sociedade